segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Médico de Família (1998-2000)

por Paulo Neto

Se não estou em erro, esta série foi o último programa líder de audiência em Portugal que não era: a) uma telenovela, b) um jogo de futebol ou c) um reality show. Mesmo que não tivesse sido, não há dúvida que a série "Médico de Família" ocupa um lugar de destaque na ficção nacional dos anos 90. A série era adaptada de um original espanhol de 1996, protagonizado por Emilio Aragón e Lydia Bosch (que os portugueses conheciam como apresentadores de "O Jogo do Ganso" na TVI).  



Ao longo de três temporadas, exibidas na SIC entre Janeiro de 1998 e Agosto de 2000, os portugueses acompanharam as aventuras e obstáculos da família Melo. Diogo (Fernando Luís) é um médico num centro de saúde que após perder a esposa num acidente de viação, vê-se a braços a conciliar a profissão e a educação dos seus três filhos: Mariana (Sara Norte), Pedro (Francisco Garcia) e Catarina (Karina Queiroz). Para tal conta com a ajuda do seu pai José (Henrique Mendes) e da empregada Lucinda (Maria João Abreu). Além disso, Diogo também acolhe na sua casa o sobrinho João (Rodrigo Saraiva), após a separação dos pais deste. Presenças habituais no dia-a-dia da família Melo são as de Júlio (Ricardo Carriço) o melhor amigo de Diogo, despreocupado e bon vivant, de Teresa (Rita Blanco), irmã da sua falecida mulher e que se torna a principal figura materna para os sobrinhos, e os sogros de Diogo, Benedita (São José Lapa) e António (Filipe Ferrer).







Do elenco fixo também faziam parte: Rute (Sofia Cerqueira), a melhor amiga de Mariana que nutre uma paixoneta por João; Carlos (Rui Paulo), o namorado de Lucinda; Jaime (José Raposo) o sócio de Carlos; Vítor (Vítor de Sousa), Laura (Manuela Marle) e Tozé (José Boavida), os médicos colegas de Diogo no centro de saúde; Mónica (Leonor Alcácer), a espevitada enfermeira; e o divertido casal vizinho dos Melo, Rosa (Florbela Queiroz) e Vicente (Carlos Miguel). Ao longo das três temporadas, um vastíssimo número de participações especiais passaram pela série, incluindo Alexandra Lencastre, Ana Padrão, Ana Zanatti, Anita Guerreiro, Helena Isabel, João Lagarto, José Afonso Pimentel, Júlio César, Mafalda Vilhena, Marco Horácio, Marco D'Almeida, Paulo Pires, Rui Mendes, Sofia Aparício, Sofia Sá da Bandeira e Virgílio Castelo.  


Numa época em que não havia muitas telenovelas portuguesas (e as que haviam eram da RTP, sem o impacto que teriam na década seguinte), a série teve o condão de prender os portugueses nas noites de terça-feira. O sucesso foi tal que a primeira série viu o número de episódios aumentar de 13 inicialmente previstos para 26. Sob o slogan "A vida tal como ela é" e conjugando bem o melodrama e o humor, "Médico de Família" falou de vários temas como os problemas familiares e financeiros, a transição da infância para a adolescência, o aborto, a droga e a SIDA. O desempenho de todo o elenco destacava-se pela grande competência, dando às suas personagens uma enorme empatia com o público, que de certa forma se revia nelas. 
Apesar de durante a primeira série namorarem outras personagens e de só a partir da segunda temporada terem começado a ver-se como algo mais do que amigos e cunhados, desde cedo ficou claro que Diogo e Teresa iriam acabar juntos. Os dois acabam por casar-se no final da segunda temporada e na terceira, eram pais de um casal de gémeos. 

O protagonista Fernando Luís, que até então dedicava-se mais ao teatro e ao cinema, tornou-se um rosto conhecido e para muitos, foi a primeira vez que Rita Blanco foi vista como uma actriz séria, já que até então era conhecida essencialmente por encarnar personagens cómicas ou pelas figuras amalucadas que fazia em programas como "A Caça ao Tesouro", "A Noite da Má Língua" e "Partir o Coco". Sara Norte também tornou-se uma estrela juvenil devido à serie mas, como se sabe, a sua transição para a vida adulta foi marcada pelo escândalo de que vai aos poucos recuperando. Francisco Garcia já era conhecido de programas como "Os Principais", de séries infantis e anúncios publicitários, sendo daquelas estrelas infantis que custa muito acreditar que hoje é um homem feito (actualmente está na série "I Love It" da TVI). Maria João Abreu teve aqui a sua personagem mais memorável e ainda hoje muitos recordam a sua cantilena durante os seus afazeres de empregada em casa dos Melo "Ó troilaré, ó troilará, vieste p'ra mim, vieste p'ra cá!"
   
Além da versão portuguesa e do original espanhol, "Médico de Família" também foi adaptado em países como Finlândia, Rússia, Alemanha, Hungria, Bélgica e Itália. A adaptação italiana é a mais duradoura, continuando em exibição há mais de catorze anos.    

Genérico (1.ª temporada):


Excerto do 1.º episódio:


Promo SIC (13-12-1998):


   

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

1 comentário:

  1. Por acaso, lembro-me perfeitamente desta série, que a minha avó e a minha mãe acompanhavam sempre, numa época em que a SIC conseguia coligar o combate de audiências com o combate de qualidade, e vencia quase sempre.
    E desta grande SIC dos anos 90, lembro-me também das fantásticas séries do Camilo de Oliveira, da série "Residencial Tejo", com Maria do Céu Guerra, e da célebre série dos "Malucos do Riso", mais outras tantas que não me lembro, mas que a minha mãe e a minha avó adoravam, fora a novela de horário nobre da SIC.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...