quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

Natal dos Hospitais (parte 3)

por Paulo Neto



Hoje a RTP transmite mais uma edição dessa instituição que é o "Natal dos Hospitais", uma iniciativa do jornal "Diário de Notícias" iniciada há setenta anos e que tem transmissão televisiva desde 1958. A Enciclopédia de Cromos já dedicou ao certame dois artigos (ver aqui o de 2012 e o de 2013) e pretende continuar a tradição este ano. Porém, ao contrário de outros anos, não tem surgido na internet novo material sobre actuações em edições dos anos 80 e 90. Contudo, depois de esgravatar mais fundo, acabou por encontrar mais alguns cromos. Vamos então recordar:



Recuamos até 1981 e é António Sala himself que nos oferece este cromo através do seu canal do YouTube. Nesta altura, a sua carreira musical incidia como membro do sexteto vocal Maranata, que também incluía a sua esposa Elisabete. O grupo é sobretudo conhecido pela sua versão em português de "Hallelujah", a canção vencedora do Festival da Eurovisão de 1979, mas aqui apostam numa onda entre o country e o disco cantando "Blue Jeans". Escreve António Sala na caixa de informação: " Visto a esta distância no tempo, cabelos, casacos, calças, óculos e os penteados dão vontade de rir. Mas na altura...era muito giro. Não sei não?!!!"


Ainda em 1981, o saudoso Carlos Paião com "Ga-Gago" um dos temas mais divertidos do seu genial repertório.


BETAMAX Marco Paulo Natal dos Hospitais 1985 por LUSITANIATV

Reparo agora que nos dois artigos anteriores, nunca houve uma menção ao rei Marco Paulo, sem dúvida um dos artistas cuja actuação era das mais aguardadas em cada edição. Colmatando essa lacuna, aqui o temos em 1985 em toda a sua glória vintage, cantando "Se Deus quiser". E como bom cavalheiro que é, termina a sua atenção com beijo na mão da apresentadora Alice Cruz.


Nos anos 80, Adelaide Ferreira passeou penteados estratosféricos. Como é o caso daquele que usou durante a sua actuação na edição de 1986 enquanto cantou "Coqueirando", o mais estival dos seus hits. É vê-la a percorrer o palco, também ela interagindo com Alice Cruz, bem como com diversos elementos da assistência, incluindo um paciente acamado.


Em miúdo, um dos meus momentos preferidos era o bloco das actuações dos grupos infantis como os Ministars e os Onda Choc. Eis aqui estes últimos em 1987 com a sua famosa versão de "La Bamba", onde se fala de gambas, cacilheiros, graxa, muchachas e da Ria de Aveiro.


Ainda em 1987, Paulo Gonzo ainda de bem farta cabeleira numa cover de "Stay", o love theme da famosa mini-série italiana "Cinderela 80".



Batem leve, levemente, como quem chama por mim. Será chuva? Será gente? Gente não é certamente e chuva não bate assim. Fui ver: era o Avô Cantigas no "Natal dos Hospitais" de 1988 a musicar o célebre poema "Balada da Neve" de Augusto Gil.



1988 foi o ano de afirmação de José Malhoa com o seu hit "24 Rosas". Mantendo a temática, eis ele com o single seguinte, "Uma Rosa e Um Espinho", onde se conclui que pelos vistos a sua amada não deve ter aceitado o bouquet...



Ainda em 1988, silêncio que se vai cantar o Fado de Coimbra. A Toada Coimbrã interpreta "Trova de um Amor Perdido.



Saltamos agora até aos anos 90, mais precisamente em 1997 para ouvirmos este colectivo all star que inclui Tony Carreira, Ágata, José Malhoa, Fernando Correia Marques e os Broa de Mel a cantar "Pedido de Natal", relembrando aqueles que não podem passar o Natal junto dos entes queridos.



Uma one hit wonder nacional dos anos 90, o "Cangurú" dos Porquinhos da Ilda. Aposto que já não se lembravam deste tema e do seu pegadiço refrão: "Canguruuuuu, diz-me tuuuuuu, quantos pêlos tens tu, no nariz".

 

1997 foi o ano em que André Sardet sugiu na cena musical nacional com o hit "O Azul do Céu". E o FM nacional nunca mais foi o mesmo...



Agora um mega-tesourinho. Em 2002, o cantor Alex entrou no imaginário nacional com o seu hit "Mister Gay" e o anúncio de casamento com o seu namorado de então, oito anos antes da legislação portuguesa o permitir. Mas cinco anos antes, Alex já deixava um prenúncio do que estava para vir quando actuou com um apessoado quarteto de bailarinos para cantar "Ida e volta baby", uma versão de "Love Really Hurts Without You" de Billy Ocean.





Para terminar, só o podíamos fazer da forma como acabava o Natal dos Hospitais nos seus anos dourados com Herman José dando um ar da sua imensa graça (1990) encarnando o mítico José Estebes e acompanhado por Ana Bola e Vítor de Sousa, e o Coro de Santo Amaro de Oeiras, cantando "A Todos Um Bom Natal" (1989). Que é igualmente o que a Enciclopédia de Cromos deseja a todos os seus leitores e fãs do Facebook.

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...