quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Bom-Bokas



Existe ainda nos nossos dias, em várias marcas, tamanhos e sabores, mas parece que nenhuma se compara a este clássico doce da Imperial dos anos 80: "Bom-Bokas".


Uma simples capinha de chocolate, numa base de bolacha e recheio fofinho, as "Bom-Bokas" foram colocadas no mercado em 1978 - mais antigas que ootros êxitos da Imperial como as Pintarolas (1980) e as Fantasias de Natal (1981) - e um sucesso junto do público, até ao desaparecimento pelo declínio das vendas.


Recordem este lendário anúncio, via Youtube do Mistério Juvenil, mais um dos sinais da proximidade - não do Apocalipse, mas - do Natal:


Encontramos o Pai Natal a ler as tradicionais cartas escritas pelos meninos que se portaram bem. No entanto, todos parecem pedir o mesmo presente: Bom-Bokas. O prazo para a Noite de Natal é curto, e São Nicolau  apressa-se a ir à mercearia mais perto. Encontra a porta fechada, mas o dono ainda está no estabelecimento. Batendo na janela, o Pai Natal pede Bom-Bokas, ao que o senhor de bigode responde, apontando um par de caixas da cobiçada guloseima: "Só há estas. São para mim!", deixando o Pai Natal desolado (e que provavelmente se vingou desse senhor deixando-lhe um presente desagradável na chaminé...) e milhares de crianças que não receberam as suas caixas de Bom-Bokas.


Moral da história: "Não deixe para o fim os seus presentes Bom-Bokas".
Como bónus, uma reclame de 1997 da Citröen que parodia este clássico:




Outro anúncio do doce:

Este recorre a umas rimas, entoadas por uma senhora no cabeleireiro, um senhor com mais pêlo no bigode que na cabeça e ainda um rapaz e uma rapariga:
"Por cima chocolate
Por baixo bolachinha
Por dentro é um recheio
Huuum! Que coisa doce tão fofinha!
"


O cenário do próximo reclame é um concurso de danças de salão:


O par com o número 1 faz várias aproximações á mesa com Bom-Bokas, até que o dançarino consegue agarrar uma que, acto contínuo, esborracha na cara da avantajada parceira.


Os jurados acharam graça e exibem as tabuletas com "Bom-Bokas" em vez de pontuação.
Momento ainda para uma agressão gratuíta a um dos jurados.



O seguinte será provavelmente - além do do Pai Natal - o mais recordado, uma invasão de um café por uma avalanche de clientes que correm ao som de uma versão cómica da abertura do Guilherme Tell de Rossini: "Bom-Bokas de morango... é bestial!"




 Não confundir com a girlsband "Bombocas". Encontrei online uma petição a exibir o regresso das "Bom-bokas" originais: "Queremos as bombokas de volta". De momento, conseguiu 2 assinaturas.
Além das versões "genéricas" não sei se ainda é possível* conseguir a versão da "Dan Cake", os "Yô-Yôs", que provavelmente foi a que mais consumi na infância, em caixas de plástico transparente. Não me recordo destas caixas de cartão da Imperial. Online encontramos muitos internautas com saudades das bombocas da Imperial e da Dan Cake, e enojados com as de outras marcas. Será o efeito da nostalgia ou seriam mesmo assim tão boas como nos lembramos?

* Encontrei relatos de pessoas que em 2006 ainda alegavam comprar as da Dan Cake. Irei proceder a mais investigações.

O blog "Brinquedos de Infância" tem um curioso autocolante das Bom-Bokas de morango:





Naturalmente, o Nuno Markl dedicou-lhes um programa em 2009:

Como sempre, o leitor pode partilhar experiências, corrigir informações, ou deixar sugestões aqui nos comentários, ou no Facebook da Enciclopédia: "Enciclopédia de Cromos". Visite também o Tumblr: "Enciclopédia de Cromos - Tumblr".

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...