terça-feira, 5 de janeiro de 2016

Acorrentados (2001)

por Paulo Neto

Para muitos, o princípio do fim do fulgurante domínio da SIC e da ascensão da TVI na luta pelas audiências, deu-se com o Big Brother que a estação de Queluz acolheu após a recusa da SIC. Dado o sucesso do programa, ficou rapidamente evidente que a SIC arrependera-se amargamente de ter rejeitado o Big Brother e em 2001, avançou para o contra-ataque com alguns reality shows.
O primeiro deles foi "Acorrentados", estreado logo no início do ano, a 20 de Janeiro de 2001, para fazer frente à segunda edição do Big Brother que estrearia em breve. Um formato originalmente estreado nos Estados Unidos mas, tal como o Big Brother, produzido pela Endemol, o concurso consistia em seguir a coabitação de cinco pessoas acorrentadas entre si, sendo que quatro desses indivíduos tentavam conquistar o quinto indivíduo, do sexo oposto, que por sua vez ia eliminando sucessivamente os pretendentes até escolher aquele que mais lhe impressionou.



Em Portugal, o programa teve quatro ciclos de duas semanas, exibidos sucessivamente. Havia a primeira gala a um sábado onde se conheciam os cinco concorrentes de cada ciclo: o/a líder e os/as seus/suas pretendentes. No sábado seguinte, o/a líder eliminava o/a primeiro/a pretendente, na quarta-feira-seguinte, eliminava mais um(a) e na última gala, tomava a sua decisão final e escolhia aquele ou aquela que mais lhe conquistou e como tal, iria acompanhá-lo/a numa viagem até à República Dominicana. No início de cada ciclo, o/a líder recebia uma mala com uma quantia de dinheiro o qual podia administrar e gastar como quisesse ao longo das duas semanas, desde despesas em restaurantes e lojas a quantias oferecidas aos pretendentes eliminados, podendo dividir o dinheiro que sobrava no fim de cada ciclo com o/a pretendente escolhido/a. As galas eram apresentadas por Artur Albarran e os diários e o momento da segunda eliminação eram conduzidos por José Figueiras, que também acompanhava os concorrentes em várias das suas saídas à rua.        



Não encontrei muitas informações sobre o programa e as minhas recordações dele não são muito concretas, até porque não acompanhei regularmente o programa.

Eis aquilo que me recordo ou que consegui descobrir sobre o programa:

- Nomes dos concorrentes de cada ciclo:

1.º ciclo: Líder - Daniela, Pretendentes - Filipe, Nuno, Paulo, Pedro
2.º ciclo: Líder - Nuno, Pretendentes - Ana, Catarina, Liliana, Sofia
3.º ciclo: Líder - Isabel, Pretendentes - Joaquim "Ravel", Jorge, Marco, Pedro
4.º ciclo: Líder - Pedro, Pretendentes - Carolina, Magda, Nádia e Zaida

Os concorrentes do 4.º ciclo




As escolhas finais dos líderes Daniela, Nuno, Isabel e Pedro foram respectivamente Filipe, Liliana, Ravel e Zaida.

- Os cinco concorrentes estavam amarrados da seguinte forma da esquerda para a direita: pretendente 1 preso pelo braço a pretendente 2 preso pela perna a líder preso pelo braço a pretendente 3 preso pela perna a pretendente 4.



- Os cinco concorrentes iam viver para uma casa durante o ciclo. Embora não fossem vigiados 24 horas por dia como no Big Brother, as câmaras estavam presentes praticamente desde que acordavam até irem dormir. Na casa, tinham acesso a várias roupas com velcro para que se pudessem vestir sem o impedimento das correntes.

- No entanto, as correntes e respectivas algemas não eram assim tão fortes e impeditivas como pareciam. No segundo ciclo, durante uma discussão, a concorrente Sofia fez um movimento brusco que fez saltar a algema que tinha no braço.

- Embora o público pudesse votar nos seus pretendentes preferidos a cada ciclo por telefone ou na internet, todas as decisões de eliminação cabiam exclusivamente ao líder.

- O tema do programa, "Tu És O Único", era interpretado por Susana Guerra, actualmente conhecida como Suzy.

- Ao longo dos quatro ciclos, o grupo Impresa publicou uma revista semanal dedicada ao programa.

- Na memória de alguns, está também a Soraia, a esfuziante morena trajada com vestes misto de odalisca e dominatrix, que tinha como função colocar as correntes nos concorrentes.

Apesar da forte aposta da SIC, "Acorrentados" não convenceu o público. Não só o povo estava mais interessado na segunda edição do Big Brother como a dinâmica revelou-se pouco emocionante e não houve nenhum concorrente marcante, pelo menos na altura.

Se "Acorrentados" ainda hoje é recordado, é porque foi lá que vimos pela primeira vez duas meninas que viriam a tornar-se bem conhecidas. A Liliana do segundo ciclo era Liliana Santos que mais tarde afirmar-se-ia como actriz em telenovelas e séries como "Morangos Com Açúcar", "Ninguém Como Tu", "Bem-Vindo A Beirais" e "Mar Salgado" e a Isabel do terceiro ciclo era nada menos que Isabel Figueira, que viria a ser uma das beldades reveladas pela revista MAXMEN e presença habitual na televisão, como apresentadora e mais tarde como actriz. Como será evidente, ambas têm evitado falar sobre a sua participação no programa.

A actriz Liliana Santos foi concorrente no 2.º ciclo de "Acorrentados"


 


O Pedro do terceiro ciclo foi um figurante recorrente na "Herman Enciclopédia": por exemplo no famoso sketch "Outros 10 Mandamentos", o tal do famoso bordão "não pirilamparás a mulher do próximo", personificou o mandamento "não ficarás vermelho de raiva". O Marco do terceiro ciclo era stripper (o seu stagename escrevia-se com K) e fez depois algumas aparições na televisão desempenhando essa actividade.


Vídeo de apresentação de Marco (3.º ciclo)


 

Apresentação de Marco (3.º ciclo) no estúdio (com a aparição da "acorrentadora" Soraia)

   

Tiazinha (artista brasileira que fazia sucesso na época nos dois lados do Atlântico) na casa dos Acorrentados (3.º ciclo)



Entrevista de apresentação a Pedro Martins (4.º ciclo)


Montagem com alguns momentos dos concorrentes do 4.º ciclo

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

5 comentários:

  1. Se há coisa de que me lembro perfeitamente da minha infância, os "Acorrentados" são um deles.
    Por acaso, não acompanhava o programa regularmente, e pessoalmente não era apreciador do género, mas via-se lá na minha casa.
    E a verdade é que, se a SIC não recusasse o Big Brother, o cenário da TV portuguesa era capaz de ser diferente do que é hoje. São os senões que a história coloca muitas vezes. Mas é com os erros que se aprende.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na SIC ainda haverá quem bata com a cabeça na parede quando se lembram que recusaram o Big Brother :D
      Este acorrentados nunca acompanhei, mas ás vezes no zapping olhava para ver as jeitosas

      Eliminar
    2. Hehehehehehe. Então é sinal de que nada aprenderam! Hehehehehe.

      Eliminar
  2. Uma curiosidade: para escrever este texto, recorri a um Acorrentado. Eu não me lembrava de quase nada do quatro ciclo do programa: lembrava-me do primeiro por ter sido o primeiro e do 2.º e 3.º precisamente por causa da Liliana e da Isabel. Mas do quarto só me lembrava do líder Pedro, nem o nome das quatro concorrentes eu sabia. Felizmente o Pedro tinha esses vídeos e esse recorte de revista numa página oficial e descobri o Facebook dele e perguntei-lhe qual delas é que ele tinha escolhido no final. Ele respondeu-me que tinha sido a Zaida.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...