sábado, 13 de maio de 2017

TOP 16 Festival Eurovisão da Canção (David Martins)


A Enciclopédia tem já uma quantidade apreciável de artigos sobre os Festivais da Canção e da Eurovisão [com direito a página dedicada e tudo] e o Paulo Neto é o nosso especialista no assunto, mas visto que há uns anos escrevinhei um Top do Festival da Canção - custou muito escolher as "finalistas"! - mais tarde ou mais cedo tinha que vir o meu Top do Festival da Eurovisão.
Obviamente, não vi ao vivo todos os escolhidos, no ano de alguns deles eu ainda estava "espalmado", mas conheci-os de retrospectivas do Festival ou por terem entrado para a cultura pop.
Nota: Enquanto estava a terminar este artigo estava a ouvir na televisão a votação do Festival da Eurovisão de 2017 e o impensável sucedeu: Portugal ganhou, com a canção "Amar pelos dois" interpretado pelo peculiar Salvador Sobral. Em 49 participações, desde 1964, algum dia tinha que ser!
Vamos então ver a minha lista pessoal, por nenhuma ordem especial, o meu TOP 16 do Festival da Eurovisão:


"Waterloo" ABBA (1974)

Semanas antes da Revolução dos Cravos, os suecos ABBA desencadeavam uma revolução musical do palco da Eurovisão para o Mundo.


"Dschinghis Khan" (Gengis Khan) - Dschinghis_Khan (1979)


Como a Alemanha Ocidental não podia levar uma canção sobre o Führer levaram esta extravagancia dançável baseada no sex symbol (!), herói, líder, genocida mongol Gengis Khan, pela banda homónima. Ficou em 4º lugar.



"Puppet on a String" Sandie Shaw (1967)


A entrada britânica que se tornou um êxito internacional, com direito até um cover da grande Simone de Oliveira: "Marionette".



"Yo soy aquel" Raphael (1966)


A sexta participação da Espanha no Festival saldou-se com o 7º lugar. Os nossos leitores menos velhos poderão reconhecê-la como a canção do genérico da novela portuguesa "Vingança". Essa mesmo, cantada pelos Anjos. Os jovens do antigamente decerto recordam a versão "Eu sou aquele" de Tony de Matos (obrigado ao Paulo Neto que mo recordou).


"Après Toi" Vicky Leandros (1972)


Tenho impressão que tenho este vinil algures cá por casa, que "emigrou" de França para Portugal no final dos anos 70.



"L'Oiseau Et L'Enfant" Marie Myriam (1977)


A representar a França, a cantora luso-francesa Marie Myriam (Myriam Lopes Elmosnino) que conquistou o primeiro lugar no certame desse ano em Londres.



"Hallelujah" Gali Atari e Milk and Honey (1979)


Contagiante tema, até para os ateus! Cá no burgo, António Sala versão bigodaça e o grupo Maranata fizeram a versão em português: "Aleluia".


"Un banc, un arbre, une rue" Séverine (1971)


Mais um que me parece bem familiar, talvez tenha ouvido muito pequeno.



"L'amour Est Bleu" Vicky Leandros (1967)


A primeira participação da grega Vicky Leandros na Eurovisão, aqui a representar o Luxemburgo, ficou em 4º lugar, mas continua a ser uma das músicas de mais sucesso dos anos 60 e com muitas versões.


"Nocturne" Secret Garden (1995)


Quase totalmente instrumental, o tema do duo irlando-norueguês (Fionnuala Sherry e Rolf Løvland) hipnotizou a plateia. E quando a voz da convidada Gunnhild Tvinnereim se ouve, arrepia...



"J'aime La Vie" Sandra Kim (1986)


Clássico dos anos 80. O Paulo Neto já lhe dedicou um cromo aqui na Enciclopédia.




"A-Ba-Ni-Bi" Izhar Cohen e Alphabeta (1978)


O ritmo parece um pouco tolo, mas é divertida. Não faço ideia sobre o que é a letra.

"La La La" Massiel (1968)


Nuestros hermanos levaram provavelmente a canção mais repetitiva de sempre, mas fica no ouvido.



"Poupée de cire, poupée de son" France Gall (1965)


Cantada por uma jovem "bonequinha" a letra da canção - de Serge Gainsbourg  - é cheia de duplos sentidos irónicos e cínicos.




"Save Your Kisses for Me" Brotherhood of Man (1976)


O Reino Unido sagrou-se campeão com esta música simpática e  que fica no ouvido.

Menções Honrosas:








Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...