terça-feira, 16 de outubro de 2012

Sandra Kim "J'aime la vie" (1986)

por Paulo Neto

Querem sentir-se velhos, querem? Pois fiquem a saber que no passado dia 15 de Outubro, Sandra Kim completou quarenta anos de idade! Falo obviamente da pequena intérprete que venceu o Festival da Eurovisão de 1986. Embora na canção dissesse "j'ai quinze ans", na verdade ela nem sequer tinha ainda completado catorze anos, o que a torna na mais jovem vencedora eurovisiva de sempre. Como desde 1990, os intérpretes do Festival da Eurovisão têm que ter a idade mínima de 16 anos (e desde 2003, existe uma Eurovisão para os sub-15), é um recorde que provavelmente manter-se-á para sempre nas mãos desta cantora belga. 


A minha ligação ao Festival da Eurovisão vem desde muito petiz. O primeiro que me recordo ter assistido na televisão foi o de 1984, mas a edição que teve lugar dois anos depois em Bergen, na Noruega, foi a primeira que segui com entusiasmo. E embora quisesse naturalmente que a nossa Dora conseguisse um bom lugar para Portugal com o clássico "Não Sejas Mau P'ra Mim", nesse ano eu torci sobretudo pela Bélgica. 
Isto porque na altura, era costume a RTP apresentar a seguir a seguir ao Telejornal as canções que iriam umas semanas mais tarde competir no Festival da Eurovisão desse ano. Era costume que as canções fossem apresentadas em forma de videoclips, usualmente como uma espécie de postal ilustrado do respectivo país. Por exemplo, foi neste vídeo da canção cipriota de 1987 que descobri que havia montanhas com neve na solarenga ilha de Chipre e para mostrar as belezas dos Açores, a RTP não se fez rogada em pôr a nossa Adelaide Ferreira a fazer playback do "Penso em ti", canção representante de Portugal em 1985, no meio das furnas. 
Pois foi nessas apresentações que num certo dia de 1986, fiquei siderado ao ver o videoclip de "J'aime la vie". Primeiro, a canção, toda ela um festim de sonoridade eighties-pop, era fantástica. Depois, Sandra Kim, na graça dos seus treze anos, tinha um ar muito queriducho e provavelmente, foi o meu primeiro sex-symbol, mesmo se na altura não sabia bem o que era sex (tal como sucedeu com o Nuno Markl quanto à Pipi da Meias-Altas). Por fim, o videoclip mostrava Sandra alegremente pelas ruas de Bruxelas, fazendo coisas como pôr-se a cantar no meio de um jogo de voleibol, numa aula de dança jazz, passear com amigos ou a devorar um gelado gigantesco.

Por tudo isso, quando chegou o dia do Festival, eu não aceitava outro país vencedor que não a Bélgica. E foi isso mesmo que aconteceu: vestida com um fato branco e um laço roxo, Sandra Kim encantou tudo e todos e venceu com relativa facilidade. Só a sofisticada balada da Suíça conseguiu dar-lhe alguma luta, ao passo que Portugal ficou em 14.º lugar com a lendária actuação da Dora, trajada de saia verde-alface e botas Doc Martens. Foi a primeira e até agora única vitória da Bélgica no Festival, em que este país participava desde a edição inaugural em 1956. 
Como ainda era costume na altura, a canção foi um sucesso internacional e passava frequentemente nas rádios portuguesas. 


Sandra Kim nasceu a 15 de Outubro de 1972 em Montegnée, perto de Liége. Filha de pais italianos, o seu apelido é Carcarone. Depois da sua vitória no Festival da Eurovisão, também destacou-se por cantar o tema da série "Era uma vez...a Vida".



Embora nunca tenha repetido o sucesso de "J'aime la vie", Sandra Kim continuou a cantar, tendo editado vários álbuns ao longo dos anos 80 e 90, e em 2011, o álbum "Wake Up" marca o seu regresso aos discos após um interregno de treze anos. Em 2010, eu vi-a a actuar em Setúbal num certame que reúne anualmente vários intérpretes participantes do Festival da Canção e da Eurovisão e regravou o videoclip de "J'aime la vie" cena por cena, no âmbito dos 25 anos da sua vitória no Festival e como promoção de uma companhia de seguros de vida.







Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...