terça-feira, 14 de julho de 2015

Zé Gato (1979-1980)


O cromo de hoje não é sobre o "Zé Gato" que jogou no Benfica - José Henrique - mas sobre o polícia televisivo que corria "pelos cantos mais sujos desta terra" a combater o crime durante 13 episódios na RTP-2.
O "Zé Gato" que dava título à série foi encarnado pelo actor Orlando Costa ("Tragédia da Rua das Flores", "O Passeio dos Alegres", "Morangos Com Açucar", etc), não podia estar mais longe do padrão internacional de beleza actual de protagonista de série policial de acção. E mesmo nos anos 80 havia séries com policias e detectives estilosos ou pelo menos com gabardines icónicas. Zé Gato não conduzia desportivos descapotáveis nem luzia o belo do blazer branco de mangas arregaçadas, mas tinha o acessório de moda mais português: um bigode farfalhudo. O que faz sentido se a intenção era mostrar de forma menos glamourosa e realista o submundo do crime que floresceu de forma descarada no Portugal pós-25 de Abril.
O site da RTP providencia uma rápida sinopse:
“Zé Gato” é uma série policial de referência, protagonizada por Orlando Costa, que desempenha o papel de um polícia corajoso, que por vezes utiliza métodos de trabalho pouco ortodoxos.
Personagens marcantes, um enredo cheio de suspense, ação e drama, são alguns dos elementos que compõem esta excelente série de ficção que marcou a década de 80.
Realizada por Rogério Ceitil em 1979, fazem também parte do elenco nomes como António Assunção, Canto e Castro, Luís Lello, entre outros.”

Portanto, um policial à portuguesa, com - ou sem - orçamento e cenas de acção a condizer com os meios monetários,  técnicos e humanos disponíveis. 

Genérico Inicial:


 Pode ver o exemplo de um dos genéricos finais, no Youtube [aqui].




Poucas semanas depois da estreia, devido a um acidente que deixou Orlando Costa fora de circulação, foram interrompidas as emissões durante 5 meses, regressando já em cores. No entanto, a perna partida até foi incorporada em vários episódios que o Zé Gato está acamado. Muitos sítios indicam o ano de produção como 1978, mas visto que foi necessário interromper as filmagens em 1979, com 1978 devem referir-se à feitura do episódio piloto, para o canal avaliar a viabilidade do projecto. Conta a lenda que o último episódio é totalmente anacrónico comparado com o resto da serie, quase um protótipo com mais humor da seguinte produção e realização de Rogério Ceitil também com argumento de João Miguel Paulino: "Duarte e Companhia". Esse episódio aliás foi o nascimento da dupla António Assunção e Rui Mendes, com a diferença que em "Duarte e Companhia" era Rui Mendes o "chefe".


O trio protagonista: Zé Gato (Orlando Costa), "Matrículas" (Luís Lello) o pequeno criminoso que é amigo e o informante de Zé Gato; Duarte (António Assunção), o superior de Zé quem nem sempre concorda com as tácticas empregues por este. Outro personagem importante é o mentor de Zé Gato, o agente reformado apelidado de "Mestre", desempenhado pelo grande Canto e Castro. [Curiosamente, recordo um episódio do "Inspector Max" em que o agente protagonista Jorge Mendes (Fernando Luís) se refere ao seu mentor como "Mestre", o actor Rui Mendes. Homenagem ou coincidência?]

Entre as participações especiais contavam-se Manuela Moura Guedes [vídeo] (na época tinha editado o seu primeiro single, paralelo à carreira de apresentadora), Jorge Palma e o ainda desconhecido do grande público Manuel Luís Goucha [vídeo].

As emissões originais decorreram por volta das 22 horas em dois períodos distintos (como mencionado acima): De 6 de Dezembro de 1979 a 17 de Janeiro de 1980; e de 17 de Junho a 19 de Agosto de 1980.
Repetiu em 1984, entre 9 e 24 de Abril, curiosamente com o título "As Aventuras de Zé Gato", na RTP-1 durante a semana, no horário das 17:00. Em 1986, começou a ser retransmitida às segunda-feiras a partir de 7 de Julho e até 26 de Setembro.
Em 2013 Rogério Ceitil entregou à PSP duas armas - um revólver e uma shotgun reais - tornadas históricas por terem sido usadas em "Zé Gato" e "Duarte e Companhia". "Duas armas de "Duarte & C.ª" e "Zé Gato" apreendidas"[Diário de Notícias]

O site "Brinca Brincando" tem uma excelente lista com as sinopses e informação adicional de cada episódio, além de outras curiosidades e vale bem a pena a visita para quem quiser saber mais detalhes: "Zé Gato - Brinca Brincando".


A canção tema que acompanha o genérico de abertura foi composto por Jorge Palma na letra e os irmãos Tozé e Pedro Brito na música, com a voz a cargo deste último. Pode consultar a letra aqui: "Recanto Cibernético 2". E claro, é obrigatório recordar a homenagem no genérico do programa "Zé Carlos" dos gato Fedorento. [vídeo]

Mini-cromo: "Tumblr da Enciclopédia de Cromos - Zé Gato"

Recomendo as breves palavras do tio CinemaXunga sobre esta série mítica"CinemaXunga - Zé Gato".

Caro leitor, pode falar connosco nos comentários do artigo, ou no Facebook da Enciclopédia: "Enciclopédia de Cromos"Visite-nos também no "Tumblr - Enciclopédia de Cromos".

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

3 comentários:

  1. Melhor série portuguesa de sempre. Onde se pode arranjar as cópias dos episódios??

    ResponderEliminar
  2. Melhor série portuguesa de sempre. Onde se pode arranjar as cópias dos episódios??

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Flake Candy no Youtube há 2 ou 3 episódios completos. De resto, não tenho conhecimento...

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...