segunda-feira, 28 de abril de 2014

Os Melhores Anos (1990 e 1992)

por Paulo Neto

Já falámos aqui de "Riscos" como um dos marcos da teledramaturgia adolescente nacional e séries precursoras dos "Morangos Com Açúcar", mas nesse campo, importa também falar de "Os Melhores Anos" que foram efectivamente a primeira série nacional sobre adolescentes. Escrita e concebida por João Aguiar, "Os Melhores Anos" teve duas temporadas, cada uma com treze episódios: a primeira foi exibida em 1990 sob direcção de Jorge Paixão da Costa e a segunda em 1992, dirigida por José Carlos de Oliveira.


Ao que "Os Melhores Anos" faltava em cor e glamour, ganhava em realismo, sobretudo na primeira temporada. Além de ter sido filmada em duas escolas reais, os protagonistas tinham todo o ar que podiam ser nossos colegas da turma e vestiam as mesmas roupas que nós usávamos no início dos anos 90 (sobretudo muita ganga surrada).


O denominador comum às duas séries eram um grupo de quatro amigos: Célia Antunes (Leonor Francisco), uma jovem sensata e cheia de maturidade mas insegura com o seu excesso de peso, que por isso tem a alcunha de "Bolinha"; Tadeu Guia (Peter Michael), o inevitável intelectual caixa-de-óculos que adora dizer palavras complicadas para baralhar os colegas; Paulo Guedes (Nuno Magalhães), o típico gozão que gosta de mandar bocas e que tem uma relação conflituosa com o irmão mais novo, Chico (Bruno Barroso), mas que é sempre leal com os amigos; e Miguel Carreira (Victor Emanuel na 1.ª série, Jorge Gabriel - não esse que estão a pensar - na 2.ª série) um jovem vindo problemático do Bairro do Barão com uma complicada vida familiar e que divide os estudos com um trabalho num clube de vídeo. 

Na primeira série que se passa na Escola C+S António de Mello (na verdade a Escola Secundária Ferreira Borges, no Alto de Santo Amaro em Lisboa), os quatro amigos andam no 9.º ano e no seu grupo ainda fazem parte Isabel (Sofia Solange), a pinga-amor da turma que se interessa por vários rapazes, Joana (Carla Cristina), rapariga discreta que num dos episódios receia estar grávida, Zeca (Ricardo Costa) o típico betinho e Tony (Filipe Malta), erradamente tido como um rapaz problemático. Existe ainda André (Filipe Dias), um garoto traquinas do Bairro do Barão que se torna amigo de Chico e que tem uma paixoneta por Célia.


Do núcleo dos professores fazem parte Berta (Laura Soveral), a presidente do Conselho Directivo, Cruz (Victor Norte), o professor de Educação Física, Tiago (Rogério Samora), professor de Matemática, Idalina (Maria José Camecelha), a professora de História a quem os alunos chamam a "Superfofinha", Josué (José Gomes), o professor substituto de História, Dalila (Lídia Franco), a antipática e venenosa directora de turma do grupo de amigos (9.º C) e sobretudo, Margarida (Alexandra Lencastre) uma jovem professora de Inglês vinda da província que desperta paixões tanto no aluno Miguel como no professor Tiago, apesar deste ser casado.


Na primeira série, falaram-se de temas como o álcool, o tabaco, as desventuras amorosas, as desavenças com os professores e os skinheads. Tirando estes últimos, eram enfim problemas típicos do 9.º ano. Os diálogos não eram dos mais brilhantes e o cenário escolar era algo deprimente cheio de tons baços, mas os jovens actores, aliados à competência do elenco adulto, não se saíam nada mal e não se valiam fazer primariamente do aspecto físico. Até as miúdas mais atraentes vestiam-se de forma pouco ou nada sensual.


Já na segunda série, as coisas foram um bocadinho mais arrojadas. Se na primeira série parecia filmada com um certo tom bege, esta tinha uma fotografia mais colorida e atractiva. Até a escola (Infante D. Luís em Oeiras) era mais jeitosinha - embora semelhante à escola em que andei no secundário - e a música de genérico era cheia de guitarradas, contrastando com a música de órgão Casio da primeira série. Para esta série, apenas transitaram da série inicial Leonor Francisco, Peter Michael, Nuno Magalhães, Bruno Barroso, José Gomes e Alexandra Lencastre.


Agora no 10.º ano e numa nova escola, uma Célia menos "Bolinha", Tadeu, Paulo e Miguel enfrentam novos dramas e desafios e formam um novo círculo de amigos com Luísa (Sofia Lukeni), uma jovem vinda da província e a única que responde à letra às bocas intelectuais de Tadeu, Raúl (Ricardo Monteiro) um jovem luso-africano que sonha em ser actor, Zé Carlos (Ricardo Oliveira), Cláudia (Isabel Praça), Luís (José Miguel Sardão) e Sandra (Sandra Ferreira), uma miúda algo impressionável. Não sendo parte do grupo, mas sempre por perto estava o fanafarrão Tomás (Filipe Garcia).
Entre as personagens adultas contavam-se Catarina (Rosa Lobato Faria), a enfastiada presidente do Conselho Directivo, Carlos (Carlos Daniel), um professor divorciado com quem Margarida passa a namorar, Sofia (Margarida Reis) a professora de Filosofia por quem Miguel tem uma breve paixoneta e Adalberto Guia (José Pedro Gomes), pai de Tadeu e conceituado arqueólogo.     
Entre várias peripécias, a grande história da segunda temporada é quando Tadeu apaixona-se e perde a virgindade com Cristina (Cristina Homem de Mello), uma rapariga mais velha, mas no final ele acaba a namorar com Luísa.


Dos jovens actores revelados pela série, Victor Emanuel acabou por ser o mais famoso. Foi apresentador da primeira série do "Clube Disney" dos anos 90 e em 2004, ficou celebrizado por ser a voz do burro Pavarotti nos diários do reality-show "A Quintas da Celebridades". Mas tanto antes como depois, entrou em diversas séries e telenovelas como "Esquadra da Polícia" e "Anjo Meu". Leonor Francisco e Peter Michael apresentaram em 1991 o magazine jovem "Acontecimentos Lda." (produzido por Teresa Guilherme). Ela também entrou em "Esquadra de Polícia" e "O Programa de Maria", mas actualmente consta que é advogada. Peter Michael também tem entrado em várias séries e telenovelas como "Anjo Selvagem" e "Dancin' Days" mas deve ser hoje em dia mais reconhecido pela voz do que pela cara, devido às várias dobragens que fez.

Além de actualmente em exibição na RTP Memória, é possível ver quase todos os episódios das duas temporadas de "Os Melhores Anos" no YouTube, graças ao incansável canal LusitaniaTV. (Um agradecimento também ao site Brinca, Brincando pelas informações quanto à primeira temporada).

Excerto do episódio "A Iniciação" da primeira temporada:
  


Episódio "As Passas do Algarve" da segunda temporada (duas partes):

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

2 comentários:

  1. Gostava que fizessem uma correção: a primeira série era passada na antiga escola Secundária de Ferreira Borges, no Alto de Santo Amaro, em Lisboa. Pelo menos na época era este o nome da instituição. Mais recentemente é que mudou de nome. Posso afirmar isto porque fui aluno da escola durante 6 anos, terminando aí o meu 12.º ano em meados da década de 80.
    Soube bem rever as imagens duma escola que hoje, à exceção da fachada, está bem diferente...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela informação, Paulo. Neste site, aparece a escola aparece referida como sendo Escola Secundária Rainha Dona Amélia e foi daí que tirei esse nome:
      http://brincabrincando.com/programas.aspx?f=01_s%C3%A9ries%20portuguesas&p=melhores%20anos,%20os%20(1990)&s=05_curiosidades.htm

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...