segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Ficheiros Secretos - The X-Files (1993-2002, 2016)




"The X-Files" no original, traduzido para "Ficheiros Secretos" em Portugal (e mais literalmente "Arquivo X" e "Expediente X", no Brasil e Espanha, respectivamente). Sempre tive pena de cá não terem mantido o icónico "X" no título. Muitas vezes desenhei eu o símbolo da série nos cadernos e livros da escola.... Tanto já foi escrito sobre este fenómeno televisivo, que reacendeu o interesse do público sobre os eventos estranhos, misteriosos, e conspirações de todo o tipo, que mais de uma década desde o final dos episódios ainda suscita curiosidade. A dupla protagonista foi elevado ao estrelato global, e no nosso país marcou o período de ouro da TVI, época em que além dos "Ficheiros Secretos" o canal exibia séries de qualidade em horário nobre ("Pretender", "Profiler", etc), antes de se render aos reality shows e telenovelas.

O tema da série descreve-se facilmente: Os agentes do FBI Fox Mulder (David Duchovny) e Dana Scully (Gillian Anderson) estão encarregues de investigar os mais variados casos sem explicação, os "X-Files". Mulder é crente em todo o tipo de explicações sobre-naturais e Scully é a contra-parte que analisa os casos de forma cientifica.

No inicio da série o trabalho de Scully é manipulado para desacreditar as teorias de Mulder e rapidamente encerrar os casos. Mulder suspeita que Scully o esteja a vigiar, mas rapidamente a relação profissional  dá lugar à amizade e ao inevitável envolvimento romântico à medida que as temporadas decorrem. Também ao longo dos episódios, entremeado com a base do "monstro da semana" (de origem sobre-natural ou fenómenos pseudo-científicos), corria uma trama paralela de uma maior conspiração que envolvia extra-terrestres e o governo dos EUA, o antigo desaparecimento da irmã de Mulder, o rapto e gravidez relâmpago de Scully, etc, bem como o papel de figuras nebulosas como o pai de Mulder (Peter Donat) e do Canceroso (William B. Davis) nesses acontecimentos. Outros personagens recorrentes incluíam o superior hierárquico da dupla, Walter Skinner (Mitch Pileggi) que lida com a pressão de proteger os agentes e manter o X-Files abertos contra interesses poderosos; o assassino Krycek (Nicholas Lea); os enigmáticos "Garganta Funda" (Jerry Hardin) e "X" (Steven Williams) constantes fontes de informação, desinformação e manipulação. Uma série tão longa - algo inusitado para o género ficção-cientifica/sobrenatural - obviamente tem muito mais personagens do que é possível mencionar aqui sem provocar sono no leitor. Mas quero destacar John Doggett (Robert Patrick, o eterno T-1000 de "Exterminador Implacável 2" - que entrou em cena curiosamente na época em que comecei a ver os episódios intermitentemente, sem a paixão anterior) o novo parceiro de Scully na 8ªa temporada, com a missão inicial de encontrar Mulder depois do desaparecimento deste. Numa inversão de papéis, Doggett é o novo céptico da dupla, visto que Scully testemunhou tantos casos estranhos (fantasmas, mutantes, monstros, inteligência artificial, extra-terrestres, etc) ao longo dos episódios que se tornou uma "crente relutante". A Wikipédia refere ainda que apesar da resistência dos fãs ao "substituto" de Mulder - que regressou mais tarde como um protagonista intermitente - os críticos gostaram da abordagem mais séria e Robert Patrick até foi premiado pelo papel.

E para assinalar a chegada dos "Ficheiros Secretos" à RTP Memória - antes dos novos episódios de Janeiro de 2016 - fui vasculhar os meus próprios ficheiros "secretos", ou seja, os recortes e páginas de revistas relacionadas com a série e o culto. Além de material dos X-Files, fiquei abismado com a quantidade de recortes de temas do "oculto" que coleccionei, inspirado pelas aventuras de Mulder e Sculy. Mas esses, são outra história! 

Tenho também bastantes cassetes de VHS com os episódios gravados. No entanto, foi de uma cassete adquirida recentemente numa feira que consegui o seguinte vídeo.
O icónico genérico de abertura, no Canal EnciclopédiaTV. Recordem o inconfundível tema musical composto por Mark Snow:


A qualidade de imagem do vídeo não é dos melhores, mas podem ver mais ou menos como era para mim assistir aos episódios na TV, visto que durante muitos anos a qualidade de recepção do sinal da TVI na minha zona era muito má, cheia de moscas, desde que construíram um prédio nas redondezas- até ao surgimento da TDT.









Devemos ainda a "Ficheiros Secretos" expressões como "A verdade está lá fora" ("The Truth Is Out There"), "Quero Acreditar" ("I want to believe"), "Não confie em ninguém" ("Trust no one") que entraram para a cultura pop e quotidiana.

Alguns dos meus episódios favoritos ou que recordo melhor incluem "X-Cops" filmado como um episódio da série "Cops" que acompanha agentes da autoridade. A ameaça desse episódio não são assaltantes de bancos mas um monstro que mata as vítimas com o próprio medo. Outros são: "Pilot", "Squeeze" (a primeira aparição de Tooms), "Jose Cheung's  From Outher Space", "Home", "Tunguska - Part 1", etc.

Apesar da decadência dos últimos anos, a saída do protagonista masculino, "Ficheiros Secretos" conseguiu ultrapassar a marca dos 200 episódios, estendidos por 9 temporadas. Começou como um êxito no nicho dos espectador de ficção-cientifica, mas em pouco tempo conseguiu alcançar o grande público.
A caixinha da televisão era pequena para conter todo o fenómeno e transbordou para todo o tipo de merchandising - da banda sonora, a livros, etc - e dois filmes: "The X-Files: Fight The Future" (1998) e "The X-Files: I Want To Believe" (2008). Se o primeiro - encaixado entre as 5ª e 6ª temporadas - era basicamente um competente episódio com maior orçamento e melhores efeitos especiais, achei o segundo francamente mau. Além das incursões no cinema, em 2001 estreou o spin-off (derivado) "The Lone Gunmen", protagonizado pelo peculiar trio de teóricos da conspiração que já conhecíamos de vários episódios. Actualmente a série - de curta duração, com 13 episódios produzidos - é recordada pelo episódio piloto em que antecipou quase ao milímetro o atentado do 11 de Setembro [vídeo] causado por uma conspiração do Governo dos EUA para enviar um avião de passageiros contra as Torres Gémeas dar impulso à indústria de armas. Qualquer semelhança com a realidade será mera coincidência? Melhor sorte teve outra série anterior do criador Chris Carter, "Millenium" que alcançou 67 episódios ao longo de três temporadas entre 1996 e 1999. Entre nós, a RTP exibiu-a já depois do final nos EUA.


Vamos então passar a alguns dos recortes que andam no arquivo cá de casa, e decerto vão render outros posts. Começo por uns scans que fiz lá para 2001, das minhas adoradas edições brasileiras da revista Wizard, que além de BD dedicava espaço a filmes e séries de culto.

Podem clicar sobre as imagens para as aumentar de tamanho e ler melhor.


"Abrindo o Arquivo X" - Artigo de 4 páginas com depoimentos do criador e argumentista Chris Carter e os protagonistas [in "Wizard" Nº1, 1996]::

"Arquivo X (...) já está em seu terceiro ano e criando um furor internacional que rivaliza com o início da mania de Jornada das Estrelas. A série também gerou um grupo de fanáticos usuários da Internet conhecidos como X-Philes (...) As pessoas têm demorado para descobrir o seriado, mas os fãs e as pessoas ligadas à produção do mesmo admitem que seus dias de cult series estão contados."
"(...) uma aura pegajosa, sombria e paranóica, que faz os momentos mais extremos de Twin Peaks parecerem normais".
"Eu queria ter histórias sobre transmorfos e comedores-de-fígado, mas a questão dos OVNIS sempre estaria espreitando, mesmo não sendo o plot principal." "Se as vidas dos personagens se tornarem o elemento principal da trama, acho que não estaremos fazendo um bom trabalho".
"As possibilidades para esta série são ilimitadas, tão ilimitadas quanto a imaginação dos escritores."
"A Verdade está na Internet" [in "Wizard" Nº1, 1996]:

Artigo sobre a presença da série na Internet, que na altura ainda era terreno inexplorado para a maioria da população mundial:





No fundo da segunda página uma imagem da participação não oficial de Mulder e Scully na série de animação por computador "ReBoot" (1994-2001). No episódio "Trust No One" para investigar desaparecimentos são chamados os agentes especiais do CGI: Fax Modem e Data Nully (voz da própria Gillian Anderson).





Guia de episódios das 4 primeiras temporadas [in "Wizard" Nº10, 1997]:





















"Nada Além da Verdade" [in "Wizard" Nº10, 1997] Artigo de 4 páginas dedicado a analisar as principais conspirações da série:









A partir do nº 4 a revista "Wizard" passou a dedicar uma secção de uma página às notícias e curiosidades sobre a série e os seus protagonistas:





















Entre 2013 e 2015 Scully e Mulder voltaram a acção, mas na forma de banda desenhada, a canónica "Season 10" que funcionou como a 10ª Temporada da série. As histórias eram fraquinhas mas espera-se mais alguns números adicionais.

Em Janeiro de 2016 os ex-agentes especiais do FBI vão regressar em seis novos episódios para os pequenos ecrãs numa nova mini-série: "The X-Files" (2016).


Caro leitor, pode falar connosco nos comentários do artigo, ou no Facebook da Enciclopédia: "Enciclopédia de Cromos"Visite-nos também no "Tumblr - Enciclopédia de Cromos" e no "Youtube - EnciclopédiaTV".

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

3 comentários:

  1. O "Pretender" para mim foi das melhores coisinhas que apareceram. Aquilo era amigos, irmãos vindos sabe-se lá de onde, bons e maus, etc... "X Files" vai começar na Memória. Yeeee.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, "Pretender" era tão bom :) E eu - como muitos - tinha um crush na Miss Parker <3 <3 <3
      Já fiz um cromo há uns anos sobre eles: http://enciclopediadecromos.blogspot.com/2012/05/pretender-1996-2000.html

      Eliminar
    2. E eu pelo Jarod, tinha de ser :-) vou ver. Obrigado :-)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...