quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Mulheres de Areia (1993)

por Paulo Neto

Em 1994, a SIC conseguiu o contracto de exclusividade com a Rede Globo, pelo que as telenovelas brasileiras passariam agora na estação de Carnaxide. Esta estratégia foi importante para a SIC alcançar a liderança no primetime nesse ano que manteria durante o resto os anos 90, juntamente com o sucesso de vários programas nacionais que marcaram a década em Portugal.



Embora desde a sua génese que a SIC exibisse telenovelas da Globo, a primeira telenovela de horário nobre a prender o país foi "Mulheres de Areia", exibida no Brasil em 1993 e em Portugal no ano seguinte. Trata-se de um remake de uma telenovela exibida na extinta TV Tupi em 1973 (também adaptada na TV Record em 1977 sob o título de "O Espantalho"). Com uma trama envolvente (da autoria de Ivani Ribeiro), uma generosa dose de romance e intriga, um aprazível cenário estival e um excelente elenco, foi a primeira telenovela a fazer furor na SIC.


A trama principal gira em torno de duas irmãs gémeas, Ruth e Raquel Araújo (Glória Pires), nascidas e criadas na vila piscatória de Pontal de Areia. Embora fisicamente iguais, as personalidades de ambas não podiam ser mais diferentes: Ruth é mar de calmaria, doce, bondosa e honesta, Raquel é mar revolto de tempestade, ambiciosa, pérfida e traiçoeira. Os pais de ambas também divergem: Floriano (Sebastião Vasconcelos) privilegia as virtudes de Ruth e envergonha-se das patifarias de Raquel enquanto Isaura (Laura Cardoso) não esconde a sua preferência por Raquel, a quem ampara os golpes.


Ruth apaixona-se por Marcos Assunção (Guilherme Fontes), um jovem e rico empresário, que apesar da sua posição social é humilde e está farto das futilidades da sua noiva Andreia (Karina Perez). O romance de ambos é interrompido por Raquel, que por interesse na fortuna de Marcos, consegue seduzi-lo fazendo passar-se pela irmã. E mesmo quando ele descobre que tinha estado com as duas gémeas, acaba por escolher e casar-se com Raquel, para grande desgosto de Ruth. Mesmo depois de casada, Raquel continua a envolver-se com o meliante Wanderley (Paulo Betti).


Marcos é filho de Virgílio Assunção (Raul Cortez), o maior empresário da região, um homem autoritário e sem escrúpulos. É casado com Clarita (Suzana Vieira) que há muito se desiludiu com o marido e vive para os filhos, Marcos e Malú. Virgílio pretende transformar Pontal de Areia num grande complexo turístico mas depara-se na oposição de Breno (Daniel Dantas), seu cunhado e prefeito da vila. Defensor das causas ecologistas, Breno proibiu os banhos na praia devido à poluição das águas, uma medida que divide a população e afasta os turistas. Virgílio aproveita da controvérsia para assustar a população, mandando pôr espantalhos na praia. Mas Breno tem uma forte aliada na extrovertida e intrépida Tônia (Andréa Beltrão), uma comerciante local por quem Virgílio sente um misto de repulsa e atracção reprimida.


Duas outras personagens míticas marcaram a telenovela. Uma delas foi Tonho da Lua (Marcos Frota), que apesar de sofrer de uma deficiência mental, é um ser bondoso, perspicaz e talentoso, famoso pelas esculturas de areia que faz na praia. É o único que consegue reconhecer instintivamente as gémeas, sendo um eterno apaixonado de Ruth, de quem é confidente, e nutrindo um ódio visceral por Raquel, que o humilha constantemente. Tonho também sofre às mãos do padrasto, o cruel Donato (Paulo Goulart), e tenta protegê-lo das investidas destes contra a sua irmã Glorinha (Gabriela Alves). Por causa do seu fascínio por Ruth, Tonho da Lua nem se apercebe que Alzira (Giovanna Gold) gosta dele.


A outra personagem marcante foi Malú (Viviane Pasmanter), a ovelha negra da família Assunção. Rebelde, irresponsável e impetuoso, apesar de ter bom fundo, Malú faz tudo para provocar e envergonhar Virgílio, de quem culpa pela morte do noivo. Mas quando ela cruza-se com Alaor (Humberto Martins), os dois são arrastados para uma relação amor-ódio. Vaqueiro rude e viril, Alaor faz de tudo para amansar a fera.

Um dos pontos mais cruciais da trama dá-se quando as gémeas sofrem um acidente de barco, no qual Raquel desaparece. Convencida de que Marcos ama a irmã, Ruth decide fazer passar-se para Raquel para assim poder ficar junto do seu amado. Só que Raquel reaparece, sedenta de vingança...


Com os habituais ingredientes de uma telenovela de sucesso e excelentes interpretações (nomeadamente de Glória Pires, Marcos Frota e Viviane Pasmanter), "Mulheres de Areia" tornou-se uma das novelas mais recordadas nos anos 90 e ainda hoje é tida como o ponto alto da carreira de Glória Pires, apesar dos papéis marcantes que ela teve tanto antes como posteriormente. As cenas das duas irmãs foram gravadas num ecrã de chromakey, com a ajuda de um ponto electrónico e de uma dupla (Graziela de Laurentis). O realizador Wolf Maya não poupou elogios à actriz, que ia ao ponto de memorizar ao pormenor as falas e os gestos que tinha feito como Ruth, para depois gravar as cenas como Raquel.




Além do Brasil e de Portugal, a telenovela fez particularmente furor na Rússia, onde o último capítulo foi exibido no dia de umas eleições, para evitar que as pessoas viajassem e se abstivessem de votar, já que era dia feriado. 

O tema do genérico era "Sexy Iemanjá", interpretado por Pepeu Gomes.


Reportagem sobre o 15.º aniversário da telenovela:







  

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

1 comentário:

  1. Existe um vídeo de humor que se chama "Colheres de Aveia" a gozar com o genérico da novela.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...