quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Vamp (1991-92)

por Paulo Neto




Confesso que não acompanhei esta telenovela quando foi exibida cá e que não me recordava de quase nada da trama a não ser que envolvia vampiros. Mas sei que na altura foi uma telenovela brasileira que agradou particularmente ao público jovem, não só pela sua principal temática mas também pela forte componente humorística. Da autoria de António Calmon, "Vamp" foi exibida no Brasil entre 1991 e 1992 e em Portugal na RTP 2 à tarde entre 1992 e 1993.



A protagonista era uma esplendorosa Cláudia Ohana no papel de Natasha, uma cantora rock de grande sucesso, que tem um terrível segredo: em troca da fama, ela vendeu a sua alma ao maléfico Conde Vlad Polansky (Ney Latorraca), o líder de um clã de vampiros. Para quebrar a maldição, Natasha ruma à pacata cidade costeira de Armação do Anjos, sob pretexto de filmar um videoclip, em busca da Cruz de São Sebastião, o único artefacto capaz de destruir Vlad e libertar a sua alma.

Em Armação dos Anjos, mandam duas forças vivas. O ex-capitão do exército Jonas Rocha (Reginaldo Faria), um homem rude mas generoso e admirado pela população, recentemente viúvo que vive com a sua sogra Virgínia (Cleide Yaconis) e os seus seis filhos: Lipinho (Fábio Assunção), Jade (Luciana Vendramini), Nando (Henrique Farias), Isa (Fernanda Rodrigues), Tico (José Paulo Júnior) e João (Pedro Vasconcelos). Quando a historiadora Carmem Maura Goés (Joana Fomm), também ela viúva e com seis filhos - Lena (Daniela Camargo), Scarleth (Bel Kuntner), Rubinho (Aleph del Moral), Dorothy (Carol Machado), León (Rodrigo Penna) e Sig (João Rebello) - chega à cidade, é amor à primeira vista entre ela e o Capitão, e após um romance-relâmpago, os dois casam-se para choque dos seus filhos. A convivência entre os Rocha e os Goés é tudo menos pacífica mas com o tempo lá vão formando uma insólita unidade familiar.

Capitão Jonas, Carmem Maura e Padre Eusébio


Os 12 filhos do Capitão Jonas e de Carmem Maura


O outro homem influente de Armação dos Anjos é Osvaldo Matoso (Otávio Augusto), dono dos negócios e terrenos mais importantes que é casado com a fogosa Mary (Patrícia Travassos), cunhada de Jonas e ex-actriz erótica, com quem teve dois filhos: os intratáveis Matosão (Flávio Silvino) e Matosinho (André Gonçalves) que se divertem atormentar tudo e todos na vila, sobretudo os primos.

Outra figura de Armação dos Anjos é Jurandir Figueira (Nuno Leal Maia), o pároco local cuja afinidade com a juventude local lhe vale a alcunha de Padre Garotão. Mas na verdade, Jurandir não é padre de verdade, mas sim um pequeno meliante que por engano assaltou uma quadrilha de bandidos, para fúria do seu líder Arlindo Cachorrão (Paulo Gracindo), usando desde então as vestes sacerdotais como disfarce. Mas as coisas complicam-se quando Marina (Vera Zimmermann), uma protegida de Cachorrão, se interessa pelo falso padre.

Marina e Jurandir


Matoso, Mary, Vlad, Gerald, Matosão


Eventualmente, o terrível Conde Vlad chega a Armação Dos Anjos com o seu séquito para capturar Natasha. A sua obsessão pela cantora deve-se a ela ser a reencarnação de Eugénia, uma antiga amada sua, que o trocou por um antepassado do Capitão Rocha. Gradualmente, vários habitantes da cidade tornam-se vampiros, em especial toda a família Matoso. Para maior confusão, surgem também dois desastrados caçadores de vampiros: Augusto Sérgio (Marcos Frota) e a inglesa Mrs. Penn Taylor-Smith (Vera Holtz).

Mrs. Penn-Taylor Smith e Augusto Sérgio


Entretanto, Natasha descobre que a Cruz de São Sebastião só pode ser manuseada por um homem de nome Rocha, e como tal aproxima-se do Capitão para que a ajude a destruir Vlad. Mas é por Lipinho que Natasha acaba por se encantar, atrapalhando o romance que tinha surgido entre ele e Lena. Na recta final, Natasha dá à luz um filho de Lipinho, que é sequestrado por Vlad, encarnado em Gerald (Guilherme Leme), o agente de Natasha entretanto vampirizado, mas antes de morder a criança, Jonas mata o malvado conde com uma estaca no peito e Miss Penn Taylor salva o bebé deitando-lhe água benta. No final, Natasha decide voltar ao Rio de Janeiro e continuar a sua carreira, deixando o seu filho a cargo de Lipinho e Lena.

Lipe e Natasha


Do elenco, fizeram ainda parte nomes como Inês Galvão (Joana), Paulo José (Ivan), Jonas Torres (Daniel Rocha), Juliana Martins (Esmeralda), Marcelo Picchi (Moreira), Zézé Polessa (Sílvia) e Osvaldo Louzada (Padre Eusébio) além de aparições especiais de Giulia Gam, Cláudia Raia, Maria Zilda e Rita Lee.

Cartaz do musical inspirado pela telenovela
com Cláudia Ohana e Ney Latorraca


Com grandes doses de humor, terror e música, "Vamp" foi uma telenovela que conquistou o público infanto-juvenil no Brasil e em outros países em que foi exibida. Na banda sonora, há que destacar o tema do genérico "Noite Preta" interpretado por Vange Leonel e uma versão de "Sympathy For The Devil" cantada pela própria Cláudia Ohana. Em 2017, foi levado a cena no Rio de Janeiro um musical inspirado pela telenovela, com Cláudia Ohana e Ney Latorraca a recuperarem as respectivas personagens.

Genérico de abertura:






Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...