sábado, 5 de setembro de 2015

Casino Royal (1990)

por Paulo Neto

"Casino Royal" marcou o regresso de Herman José da RTP depois da enorme polémica com seu programa anterior "Humor de Perdição". Desta vez, para não haver problemas, o programa só foi transmitido depois de ter sido todo gravado em finais de 1989, estreando a 22 de Janeiro de 1990.




A acção de "Casino Royal" decorre em Lisboa, em plena Segunda Guerra Mundial. Artur Royal (Herman José) dirige o seu requisitado casino, que se torna palco de várias manobras de espionagem. Royal tenta não envolver-se nessas intrigas, até porque já tem problemas que chegue na vida pessoal: o seu casamento com Celeste (Ana Bola), mulher inquieta viciada em cafezinhos cooooooooom leite e em empregar o vocábulo "a bem-dizer" em cada frase, já viu melhores dias e a filha de ambos, Ivete Carina (Rita Blanco) é uma jovem rebelde e insubordinada. Mas quando descobre que o seu aparentemente ingénuo porteiro Alverca (Nuno Melo) é na verdade um colaborador do III Reich, Royal, incentivado pelo espião inglês Phillip (Filipe Ferrer), aceita colaborar com os Aliados e disfarça-se da espanhola Maricarmen (dona de uns guinchos de fazer inveja à Maximiana) para sacar informações a Alverca.

Ana Bola (Celeste)
Rita Blanco (Ivete Carina) e Vítor de Sousa (Trafaria)

Maria Vieira (Maribel)

São José Lapa (Natacha) e Herman José (Crispim)
Nuno Melo (Alverca)


Herman José (Maricarmen)

Herman José (Artur Royal) e Lídia Franco (Zizi)


Além de Phillip, os outros espiões residentes do casino são a italiana Brembilla Testarossa (Margarida Carpinteiro), uma hábil manobradora de bestas, a francesa Zizi Lautrec (Lídia Franco), mulher fria e calculista porém apaixonada por Royal e a russa Natacha Seminova (São José Lapa), que se apaixona por Cachucho (José Pedro Gomes), um amigo do casal Royal que vive nos esgotos do casino, de cujo amor nascerão dois jaquinzinhos. 
Royal tem também um irmão gémeo, Crispim, porteiro das traseiras do casino, constantemente embriagado e cheio de filosofia barata, mas com quem todos simpatizam. Entre as suas manias, Ivete diverte-se a assediar Antímio Trafaria (Vítor de Sousa), o dedicado encarregado da roleta do casino que volta e meia lá vai exclamando aos apostadores "Renevapliu!" e "Fertêvogê!". Trafaria fica muito incomodado com os assédios da rapariga, até porque tem um casamento feliz com Maribel (Maria Vieira), a vendedora de cigarros do casino.
Além de Royal, Crispim e Maricarmen, Herman José desdobrou-se em mais duas personagens: Gradivia Prépacova, czarista russa exilada no Seixal, que é a mãe biológica de Natacha e Ivete, que afinal foi adoptada pelos Royal quando Celeste a encontrou numa cestinha de vime e o Führer Adolph Hitler himself, que terá um curto mas tórrido romance com Celeste. 

Entre os diversos plot twists ao longo dos treze episódios descobre-se que Ivete e Phillip tiveram um caso do qual nasceu um filho chamado Ricardo e que Maribel afinal é uma extraterrestre. Mas no final, tudo acaba bem com todas as personagens emparelhadas e casadas menos Maribel que está de regresso ao seu planeta.

Como era habitual nos programas de Herman José, "Casino Royal" teve uma boa dose de humor transgressor e nonsense, com os actores frequentemente a desmancharem as personagens e mandarem bocas sobre o programa e os cenários e lançou bordões como "A língua portuguesa é muito traiçoeira!", "- Não vás mais longe. - Eu não, fico já aqui!" ou "- Por quem és. - Pelo (clube de futebol aleatório)". E apesar da acção da série passar nos anos 40, houve inúmeras referências jocosas à situação do então tempo presente. 

Lara Li esteve entre os convidados musicais do programa

"Casino Royal" teve também várias actuações musicais quer da parte de Herman José (à vez na pele de Artur Royal, Crispim ou Maricarmen) quer do cantor convidado de cada episódio. Convidados esses que foram Simone de Oliveira, Cândida Branca-Flor, Marina Mota, Joel Branco, Alexandra, Helena Vieira,  Carlos Guilherme, Maria Viana, Lena D'Água, Maria de Lurdes Resende, João Braga, Rui Veloso e Lara Li. Desses momentos musicais, recordo o de Rui Veloso a cantar "A Costureirinha da Sé" com todos os figurantes deitados no chão, supostamente mortos por comerem batatas fritas envenenadas, que a dada altura ressuscitam para trautear o tema e impedir que Rui Veloso cante o "Porto Sentido".


Antes da estreia, no programa especial da RTP para a passagem de ano 1989/1990 (onde entre vários blocos foi exibido pela primeira vez na televisão o filme "Os Caça-Fantasmas"), houve uma breve apresentação do programa e do elenco (excepto Rita Blanco que não esteve presente) onde se reuniram para cantar o tema principal.


Programação da RTP no dia da estreia do programa (Diário de Lisboa)


Genérico:




1.º programa:






   

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

3 comentários:

  1. Um dos mais extraordinários programas do Herman José, que tal e qual como o "Allô, Allô", parodia um dos casos que não tem graça nenhuma, a 2ª Guerra Mundial, onde aconteceram as maiores desgraças mundiais da época, que antecederiam o caos em que está o Mundo de hoje.
    Não perdi um episódio deste programa, e gostei imenso, principalmente da Maria Carmen, do mordomo nazi, das actuações e divulgações das históricas melodias de sempre, sómente existindo o anacronismo da canção "Adeus" que é de 1949, e não é da 2ª Guerra Mundial, mas como foi a Simone que a cantou, desculpa-se.
    Um programa verdadeiramente espectacular, com orquestra e banda ao vivo, coisa que hoje é rara nos programas de TV de hoje.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A provar que não há temática que não possa ser parodiada ou criticada, mesmo contra as birras dos censores

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...