quinta-feira, 4 de junho de 2015

Anúncios a tintas (1986-1992)

por Paulo Neto

Uma vez que algures por este país haverá sempre a necessidade de alguém pegar num pincel, rolo ou trincha e aplicar uma demão de tinta numa parede, num soalho ou noutra coisa qualquer, faz todo o sentido que a publicidade a marcas de tinta continue a existir em toda a força. No entanto, parece-me que pelo menos em televisão, a publicidade a tintas já não é tão proeminente, nem tão criativa como o foi entre a segunda metade dos anos 80 e o início dos anos 90, período que nos deixou uma mão cheia de anúncios memoráveis, dos quais vou analisar cinco. Será porque foi por neste período que se iniciou a maior renovação de sempre do parque habitacional em Portugal? Seja como for, vamos lá analisar.

  
E começamos logo com um dos anúncios mais míticos, datado de 1986. A Robbialac seria porventura a marca mais atenta ao poder da publicidade televisiva, pelo que foi aquela que deixou mais anúncios para a memória colectiva. Como por exemplo este  da gama Tartaruga. Ao som de uma musiquinha tipo filme western, um homem de viola contava a história do amigo Costa que, surdo às recomendações, pinta a casa com uma qualquer ranhosice de tinta. Até que por fim, o Costa aceita o conselho cantado do amigo cantadeiro "Amigo, Tartaruga é a tinta!" e no final os dois juntam-se para cantar em uníssono e darem um passinhos de dança.


Também de 1986 e com chancela da Robbialac, o anúncio Stucomat deixou a sua marca não apenas na música como também visualmente. Liderados pelo capitão de macacão branco, um exército de pintores vestidos com macacões azuis, vermelhos e amarelos dirigem-se em passo militar para a missão de pintarem um prédio enquanto entoam a cantilena "Stucomat é uma grande tinta/ Stucomat é Robbialac/É tinta muito em conta para qualquer um/ É tinta com a qualidade Robbialac/Toda a gente pinta com Stucomat/ Stucomat é Robbialac" até terminarem todos a acenar com os rolos nas janelas do prédio.


Mas pensando bem, este regime militarizado dos pintores deste anúncio teria a sua razão de ser. Até porque neste anúncio de 1990, para a gama Rep da Robbialac, o protagonista é um pintor que se revela um verdadeiro ás do combate ao crime ao defender-se somente com a ajuda das suas tintas e dos seus utensílios de um bando de gangsters (daqueles mesmo saídos de um filme dos anos 40) armados até aos dentes. Foi neste anúncio que eu ouvi pela primeira vez a palavra "opaca".


No ano de 1987, a marca Dyrup comemorava 40 anos em Portugal. Para a efeméride, foi feito um anúncio minimalista mas nem por isso menos marcante, com um colorido arlequim a rodopiar por entre latas de tintas e no fim ouvindo-se uma voz operática a trautear "Dyrup, dyrup, dyru-dyru-pee".


De entre os anúncios das tintas CIN, recordo sobretudo este de 1992, referente à gama Colormix. Um anúncio bem colorido em estilo cena de filme musical enaltecia a variedade cromática desta gama. E quem não se lembra do início do jingle? "Só lilases, são quarenta/De amarelos outro tanto/Eu cá prefiro os azuis/Eu vou bem mais pelo branco!" (Ou seria "blanco" como parece que se ouve?)

Existe mais algum anúncio a tintas dos anos 80 e 90 que vos tenha ficado na memória? Se sim, é só dizê-lo nos comentários ou na página do Facebook.

Um agradecimento especial aos canais do YouTube LustaniaTV, materdnaxela e 1980s90stv pelo upload destes anúncios.

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...