sexta-feira, 12 de junho de 2020

Falar Português (1989)

por Paulo Neto


Antes de se destacar pela sua carreira na política, nomeadamente como Presidente da Câmara de Sintra e mais tarde como deputada no Parlamento Europeu, Edite Estrela era sobretudo conhecida pelo sua carreira académica em prol da língua portuguesa, não só pela sua obra publicada sobre esta temática mas sobretudo devido às suas aparições na televisão para falar sobre como falar e escrever bem na nossa língua. Ao ponto de durante muito tempo, Edite Estrela era quase um sinónimo de todo aquele ou aquela que se apressava a corrigir quem dava algum pontapé no português. Lembro-me de algumas vezes, ao tentar corrigir alguns colegas da escola quando, por exemplo, diziam "tu fizestes" em vez de "tu fizeste" ou "amanda a bola" em vez de "atira a bola", levava como resposta um "Lá estás tu armado em Edite Estrela!"
Nascida em Belver, concelho de Carrazeda de Ansiães, a 28 de Outubro de 1949, Edite Estrela licenciou-se em Filologia Clássica em 1973 e foi professora de Literatura Portuguesa entre 1973 e 1986. Em 1984, estreou-se na apresentação em televisão com "Bem Dizer, Bem Escrever", seguindo-se em 1986 o programa "Crónicas de Bem Dizer" e três anos mais tarde, em "Falar Português" tendo como parceiro de autoria e apresentação o professor catedrático João David Pinto-Correia (desconheço se ele tinha algum parentesco com a Clara e a Margarida), natural do Funchal e falecido em 2018.



"Falar Português" foi exibido na RTP 1 após o Telejornal entre 30 de Janeiro e 28 de Abril de 1989, num total de 60 programas com cerca de seis minutos cada. Em cada programa, Edite Estrela e João David Pinto-Correia abordavam não só os erros mais comuns que os portugueses faziam ao dizer e/ou escrever certas palavras, mas também por exemplo os significado de algumas expressões em latim usadas no nosso vocabulário (afinal deve dizer-se statu quo e não status quo, a não ser que seja para referir a famosa banda rock britânica) ou alguns termos regionais (por exemplo o "garoto" de Lisboa e o "pingo" do Porto). Lembro-me que foi neste programa que por exemplo, ao contrário do que eu ouvia sempre dizer, aprendi que o substantivo grama é masculino quando se refere à unidade de peso ("duzentos gramas de farinha" e não "duzentas gramas") e só é feminino quando é sinónimo de relvado (a "grama do jardim"). Como estávamos num tempo em que a programação da RTP era preponderante no entretenimento do país, "Falar Português" foi um programa popular na altura: recordo-me de por exemplo eu e os meus colegas de escola falar com a nossa professora sobre o que tinham ensinado no programa do dia anterior (na altura eu estava no 3.º ano do 1.º ciclo) e muitos telespectadores enviavam cartas aos apresentadores sobre algumas das suas dúvidas de gramática e/ou ortografia ou sugerindo que eles falassem sobre algum determinado tema, o que acontecia amiúde. E claro, inspirou programas futuros como "Cuidado Com A Língua".





Inicialmente Edite e João David apareciam num cenário que tinha como fundo uma enorme ilustração de um livro onde estavam escritos as duas primeiras estrofes dos "Lusíadas", mas posteriormente foram filmando o programa em vários sítios como em bibliotecas, escritórios ou salas de estar (não sei se das suas próprias casas ou de outrem). Embora João David Pinto-Correia estivesse bem, não havia dúvida que o carisma e a telegenia de Edite Estrela davam a esta mais destaque. "Falar Português" encontra-se actualmente disponível para visualização no site dos arquivos da RTP.        

O tema do genérico era "Moon Dance", tema de 1986 do compositor e harpista suíço Andreas Vollenweider, que mais tarde também seria utilizado no "Agora Escolha".

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...