sábado, 23 de junho de 2012

Miss Universo (1980-1989)

por Paulo Neto

Tal como o Festival da Canção e da Eurovisão, entre os pontos altos da saison televisiva na era croma estavam os concursos de misses. O país parava para ver a eleição da Miss Portugal, concurso organizado pelo jornal Correio da Manhã, e um meses mais tarde assistia à Miss Universo, na esperança que a representante portuguesa fosse chamada ao palco como uma das semifinalistas, o que nunca acontecia pois as candidatas portuguesas estavam longe da primeira divisão, onde países como os Estados Unidos, Venezuela, Porto Rico e, nos anos 90, a Índia eram as maiores potências e raramente falhavam a segunda ronda. Aliás foi só em 2011 que se ouviu "Portugal!" quando anunciaram os países das candidatas que avançavam à segunda ronda, graças a Laura Gonçalves.

O top 5 de 1983

Como não podia deixar de ser em plenos anos 80, as cerimónias de eleição da Miss Universo ilustravam magistralmente as modas da época: penteados estratosféricos que exigiam um sem-fim de latas de laca e com isso um substancial aumento do buraco do ozono; maquilhagem supercarregada, e vestidos cheios de enchumaços e laçarotes e de cores espampanantes.

Ao longo da década, o concurso seguia basicamente o mesmo alinhamento. Começava com uma paradas de todas as concorrentes, cada uma vestindo um traje tradicional do seu país. Elegiam-se as dez semifinalistas e sempre que cada uma das anunciadas descia para o centro do palco, a orquestra tocava um dos hits da época. Tomemos como exemplo estes vídeos de 1984:

(Repararam na Miss Turks & Caicos? Eu acho que ela deve ter ganho no seu país essencialmente devido à sua beleza interior...)

De seguida, as dez semifinalistas desfilavam em fato-de-banho e depois em vestido de noite. Havia também um filme onde víamos todas as candidatas num cenário de praia, envergando vários tipos de fatos de banho (de uma peça claro, biquinis só a partir dos anos 90). Seguidamente, elegia-se as cinco finalistas que teriam de responder a uma pergunta final. Por fim, coroavam-se as quatro damas de honor e a grande vencedora.

Na década de 80, estas foram consideradas as mulheres mais belas do planeta:


Em 1980, os Estados Unidos ganharam a sua quinta coroa, graças a Shawn Weatherly. Aos 21 anos, esta loira da Carolina do Sul venceu a concorrência. Mais tarde viria a enveredar por uma carreira de actriz dos quais os seus momentos mais famosos foi ter entrado em "Academia de Polícia 3: De volta aos treinos" e na primeira série de "Marés Vivas", na fase pré-Pamela Anderson. 



Vitória para a Venezuela em 1981, com a coroa a ir parar à cabeça de Irene Saez. Após uma curta carreira como modelo, Saez enveredou por uma bem-sucedida carreira na política. Foi eleita Presidente da Câmara de Chacao, um dos municípios de Caracas, notabilizando-se por ter conseguido diminuir substancialmente a criminalidade. Foi governadora do estado de Nueva Esparta e em 1998, foi candidata presidencial, já com Hugo Chavez com um dos adversários. Com a ascensão de Chavez no ano seguinte, Irene Saez mudou-se para os Estados Unidos. 


Karen Baldwin foi a primeira canadiana coroada Miss Universo em 1982, no Perú. Além de ter sido uma figura televisiva no seu país, entrou no filme "Who's That Girl" de Madonna como uma das damas de honor raptadas. Foi casada com o actor Jack Scalia e actualmente, é produtora de filmes em Hollywood. Entre os filmes que produziu contam-se "Sahara" com Matthew McCounaughey e Penelope Cruz e "Ray" que deu um Óscar a Jamie Foxx.


Em Nova Orleães, Lorraine Downes conseguiu o único triunfo até à data para a Nova Zelândia em 1983. Após o seu reinado, Downes viveu uma vida discreta dedicada à família e aos negócios em que investiu. Só voltaria à ribalta em 2006, quando ganhou a versão neozelandesa do "Dança Comigo". A 3.ª Dama de Honor, a suíça Lolita Morena, viria a apresentar o Festival da Eurovisão de 1989.  


Miami foi o cenário onde foi coroada a sueca Yvonne Ryding em 1984, futebolista amadora e estudante de enfermagem. Depois de uma breve carreira como modelo em Nova Iorque, regressou à Suécia e tem feito aparições esporádicas na televisão, como na versão sueca do "Dança Comigo". 



A vitória de Deborah Carthy-Deu, de Porto Rico, em 1985 foi surpreendente, uma vez que a grande favorita era a espanhola Teresa Sanchez, que foi 1.ª Dama de Honor. Deborah protagonizou um telenovela argentina e apresentou vários programa de televisão no seu país. Actualmente tem uma escola e agência de modelos em San Juan e em 2009, foi mãe pela primeira vez aos 43 anos. De referir ainda que a Miss Estados Unidos, Laura Herring, protagonizou com Naomi Watts o filme "Mulholland Drive" de David Lynch.


Depois do segundo lugar em 1985, Espanha teve uma meia-vitória no ano seguinte. Isto porque embora tenha ganho pela Venezuela em 1986, Barbara Palacios nasceu em Madrid e a sua mãe era espanhola. Barbara é uma bem-sucedida mulher de negócios na América Latina e pelo que vi de fotos recentes, está ainda mais deslumbrante. A primeira Dama de Honor foi a americana Christie Fichner, que para ganhar o título do seu país teve que superiorizar-se a uma tal de Halle Berry.


Cecilia Bolocco trouxe a única vitória para o Chile em 1987. Ficou famosa a sua reacção de espanto quando soube que tinha ganho. Cecilia tornou-se desde então uma figura proeminente da televisão na América Latina, como actriz, jornalista e apresentadora, e chegou a apresentar a eleição da Miss Universo 1993. Foi também casada com Carlos Meném, antigo presidente da Argentina.


Na ilha Formosa em 1988, o ano do Dragão, domínio esmagador das belezas asiáticas. Quatro das cinco primeiras classificadas eram do Oriente, com a vitória a ir para a Tailândia. Embora emigrada nos EUA desde tenra idade, Porntip Nakhirukanok trouxe a segunda coroa para a Tailândia. Na cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos de Seul, ela desfilou com os atletas tailandeses. É actualmente casada com o magnata Herbert Simon, dono por exemplo, da equipa NBA dos Indiana Pacers e dirige uma organização de caridade que ajuda crianças carenciadas na Tailândia e que construiu casas para comunidades afectadas pelo tsunami de 2004.


A fechar a década, um triunfo para a Holanda em 1989. Angela Visser é considerada uma das mais bonitas Miss Universo de sempre. Angela fez participações especiais em séries como "Blossom", "Friends" e "Marés Vivas" e foi comentadora oficial da Miss Universo entre 1991 e 1994.

Futuramente, irei falar das Misses Universo dos anos 90.  



  

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

2 comentários:

  1. Isto foi pré cirurgias plásticas. Ah e, desculpem lá só reter isto mas: "Porntip". lol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ehehe tudo "au naturel" :) sim, o nome "Porntip" é épico mas não aconselho a que chamem as vossas filhas assim, é um conselho que dou :)

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...