terça-feira, 16 de outubro de 2018

"Deixa-me Olhar" AlémMar (1998)

por Paulo Neto

Hoje em dia o conceito de fama é cada vez mais abstracto e aleatório. Parece que a qualquer momento cada um pode ter os seus quinze minutos warholianos sem sequer fazer algo meritório para tal. E claro está, com as novas tecnologias, existem outras plataformas de fama.
Mas eu cresci no tempo em que não só prevalecia a associação da fama ao mérito como o meu eu petiz acreditava que os famosos eram uns quantos escolhidos por alguma providência para se distinguirem do cidadão comum e viviam num universo paralelo que só episodicamente desciam ao mundo da gente comum para concertos ou algo assim. E para um miúdo que cresceu em Torres Novas esse universo paralelo podia muito bem ser Lisboa ou Porto. Qual era o famoso que quereria viver num município tão singelo como Torres Novas?
Bem, havia um famoso no concelho de Torres Novas e como tal, foi o primeiro famoso que eu vi na rua, fora de um contexto artístico: Pedro Barroso (o cantor, não o actor de telenovelas). Apesar de nascido em Lisboa, António Pedro da Silva Chora Barroso cresceu na freguesia dos Riachos e por lá continuou a residir mesmo quando a sua carreira como músico arrancou tendo sido um dos cantautores revelados pelo "Zip-Zip". Os anos 80 foram o seu período de maior sucesso da sua carreira por conta dos seus dois grandes hits: "Cantar Brejeiro" (mais conhecido como "Olha A Perninha Da Menina") em 1982 e "Menina Dos Olhos d'Água" em 1987.



Mas em 1998, vi-me a poucos graus de separação de gente famoso, porque foi nesse ano que se celebrizou uma banda com membros naturais do meu concelho. Isto porque foi nesse ano que os AlémMar editaram o seu primeiro álbum. E não só o vocalista era Nuno Barroso, filho de Pedro Barroso, como três dos membros da banda ou eu conhecia pessoalmente ou conhecia pessoas ligadas a eles. Era o caso de um dos guitarristas, Carlos Lima, cujo pai - que tinha o mesmo nome - era na altura meu professor de IDES (Introdução ao Desenvolvimento Económico-Social) no 12.º ano (e já tinha sido meu professor de Geografia no 10.º ano), e foi um dos professores mais marcantes da minha escolaridade; foi quase para mim o que a personagem de Robin Williams foi para o Clube dos Poetas Mortos. Na altura, além da banda, o Carlos Lima filho trabalhava também como criador dos bonecos do "Contra-Informação". Depois havia a cantora do coro, Ana Rita Damásio, que era da outra turma de Humanidades e por isso já tinha falado esporadicamente com ela - e que mesmo antes já emanava "star power". E havia também o baterista Samuel Henriques que eu conhecia também da escola, pois era amigo de alguns dos meus colegas de turma e de cujo irmão mais novo (também ligado à música) eu próprio viria tornar-me amigo anos mais tarde. Os outros membros da banda eram Ricardo Moreno (guitarra), Pedro Nunes (baixo) e Francisco Velez (teclas). 
O projecto tinha começado alguns anos antes sob o nome de Anúbis e como alguns dos membros andavam na mesma escola secundária que eu, eu ouvia aqui e ali relatos da evolução da banda e do interesse das editoras. Depois correu a notícia que em 1997 tinham assinado contrato com a MCA e que estavam a preparar um álbum a ser lançado no ano seguinte. Mas só mesmo quando ouvi "Deixa-Me Olhar" pela primeira vez na rádio da minha escola é que pensei: "É pá, eles podem ir longe."


E de facto, com a edição do single e do álbum homónimo da banda, o sucesso foi imediato e não tardou que a rádio tocasse "Deixa-me Olhar" com insistência e que os AlémMar aparecessem em todos os programas de televisão e actuassem por todo o país.


Não fosse o fenómeno Silence 4 pouco tempo depois, e teriam sido a banda nacional com a estreia mais auspiciosa do ano de 1998. Claro está, também os vi ao vivo em Torres Novas nesse ano numa noite chuvosa de Outubro.
"Deixa-me Olhar" obteve imediatamente lugar de honra no panteão da baladaria nacional e continua a ser até hoje um favorito nas noites de karaoke por esse país fora.

Entre as outras faixas do álbum, destacam-se "Carolina (Anda Cá)", "Cidades Não Chores Por Mim", "Zé Das Pintas" e outra powerballad "Já Não Há Mais Baladas".



O segundo álbum "Viver" saiu em Outubro de 1999, mas embora o tema "Sentimento Irreal" tenha tido alguma notoriedade, o disco esteve longe de repetir o sucesso do primeiro álbum.




Após alguns anos de interregno, a banda reuniu-se em 2004 para uma actuação na Festa da Bênção do Gado em Riachos e desde então que os AlémMar actua ocasionalmente com uma formação semi-renovada. Em 2007, editaram o terceiro álbum, "Acreditar" e regravaram "Deixa-me Olhar" para o genérico e banda sonora da telenovela da TVI "Deixa-me Amar".





Nuno Barroso tem tido paralelamente os seus projectos a solo. Ana Rita Damásio foi uma das vocalistas dos Madredeus após a saída de Teresa Salgueiro entre 2008 e 2010. Samuel Henriques foi o baterista na última digressão de José Cid.   


Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...