segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Fido Apresenta Número Um (1991)

por Paulo Neto



Ora voltamos a analisar mais um volume da série "Número 1" também mais conhecido como "Fido Dido", uma vez que vários dos volumes dessa série tinham na capa a simpática mascote da "7Up". Herdeira de outras séries de colectâneas de êxitos internacionais dos anos 80, como o "Jackpot" e o "Polystar", a série "Número 1" resultava numa colaboração entre três editoras - Sony Music, BMG e EMI-Valentim de Carvalho - reunindo os principais hits nacionais e internacionais de artistas destas editoras. Neste texto vamos analisar o alinhamento do primeiro volume da série, editado por ocasião da quadra natalícia de 1991 pela Sony Music, com direito a um spot publicitário.

Nesse ano, eu passei o Natal em casa de uns tios meus no Carregado, porque a minha mãe tinha na altura sido operada às varizes no Hospital de Santa Marta em Lisboa e não podendo fazer ainda uma deslocação para Torres Novas, foi autorizada pelos médicos a passar o Natal no Carregado. E quando cheguei ao Carregado, lembro-me de ver em evidência na sala um exemplar em vinil desta colectânea que os meus primos tinham comprado dias antes.
Mas quais eram então as 24 canções, distribuídas por 2 CD/LP/cassetes, que compunham esta compilação?
 
CD 1
1. "Burbujas de Amor" Juan Luis Guerra & 4:40: Já falámos aqui deste sucesso vindo da República Dominicana que fez parte da banda sonora do Verão português de 1991, na voz do rei do merengue Juan Luis Guerra. Mas só de há uns anos para cá é que me apercebi de todas as metáforas marotas contidas na letra.
2. "Night Calls" Joe Cocker: No próximo dia 22, faz três anos que Joe Cocker, dono de uma das mais inconfundíveis vozes, deixou este mundo. Nos idos de 1991, a sua carreira continuava com alguma prosperidade, tendo editado nesse ano o álbum "Night Calls", cuja faixa-título foi escrita por Jeff Lynne dos E.L.O.
3. "Learning To Fly" Tom Petty & The Heartbreakers: Falecido no passado mês de Outubro, Tom Petty é outro senhor que já não está entre nós. Em 1991, Petty e a sua banda The Heartbreakers lançou o álbum "Into The Great Wide Open", do qual se destacou o single "Learning To Fly", co-escrito por Jeff Lynne (outra vez ele).
4. "Foram Cardos, Foram Prosas" Ritual Tejo: Depois de terem ganho o concurso do Rock Rendez Vous em 1987 sob o nome de Easy Gents, os Ritual Tejo lançavam em 1991 o seu primeiro álbum "Perto de Deus", do qual se destacava esta versão de "Foram Cardos, Foram Prosas", originalmente gravado em 1981 por Manuela Moura Guedes (sim, ela já teve uma carreira musical!) e que apresentou o tema com letra de Miguel Esteves Cardoso a uma nova geração. Os Ritual Tejo viriam a conquistar mais algum sucesso nos anos seguintes, nomeadamente em 1996 com o hit "Nascer Outra Vez".
5. "Falling" Julee Cruise: Este é daqueles temas que toda a gente sabe reconhecer mas que poucos conseguem dizer qual o título ou o nome da intérprete. A hipnótica versão instrumental do tema, composto por Angelo Badalamenti, é indissociável da mítica série "Twin Peaks". (Sabiam que Portugal foi o segundo país europeu a transmitir a série, apenas depois do Reino Unido?) A série criada por David Lynch rapidamente ganhou estatuto de culto e por isso, impôs-se a edição do tema, incluindo uma versão cantada do tema, à qual foi dada o título de "Falling" e interpretada por Julee Cruise. (Sim, o nome dela é Julee e não Julie, como por vezes aparece escrito - e não, não é parente do Tom). Natural do estado de Iowa, Cruise era já uma regular colaboradora de Badalamenti e Lynch quando gravou aquele que viria ser o seu trabalho mais conhecido, embora a sua carreira seja bem activa há mais de três décadas (o seu álbum mais recente é de 2011). Em 2002, Julee Cruise regravou "Falling" que surgiu como faixa escondida do seu terceiro álbum.
6. "Step By Step" New Kids On The Block: Formados em Boston em 1984, sob a ideia do produtor Maurice Starr de formar uma versão caucasiana dos New Edition, os New Kids On The Block são considerados a primeira boyband nos moldes que se conhecem. O grupo formado por Jordan Knight, Jonathan Knight, Donnie Whalberg, Joey McIntyre e Danny Wood viveu o seu período áureo na transição dos anos 80 para a década de 90, com um punhado de hits globais, dos quais este "Step By Step" é um dos mais conhecidos. Após uma dissolução em 1994, os NKOTB têm actuado regularmente desde 2008.
7. "Innuendo" Queen: Foi a 24 de Novembro de 1991 que o inigualável Freddie Mercury deixou este mundo, vítima da SIDA, algo que tentou esconder até praticamente às vésperas do seu falecimento, embora já se notassem sinais de debilidade. Mas Mercury não foi embora sem deixar mais um marcante álbum dos Queen, "Innuendo" que incluía uma épica faixa-título de 6 minutos e meio, a fazer lembrar a mítica "Bohemian Rapsody". Para mim, pessoalmente, recordo sobretudo esta canção por anos mais tarde ser usada num anúncio ao whisky Ballantines.
8. "Fading Like A Flower (Everytime You Leave)" Roxette: Com o álbum "Joyride", o duo sueco continuava a sua fórmula de sucesso, alternando malhas de pop-rock como a faixa-título com grandes baladas como é o caso deste "Fading Like A Flower". Em 2005, uma versão dançável deste tema da autoria de Dancing DJs teve algum sucesso em vários países europeus. Não só os Roxette deram o seu aval a esta versão, como Marie Frederiksson marcou presença no respectivo videoclip.
9. "Wicked Game" Chris Isaak: Originalmente incluído no álbum de 1989 "Heart Shaped World", "Wicked Game" foi incluído na banda sonora do filme "Coração Selvagem", realizado por David Lynch. Consta que um director de uma rádio de Atlanta que era mega-fã de Lynch e passou regularmente o tema e o sucesso foi aumentando, até que o actor e cantor (e ex-pugilista) Chris Isaak viu-se finalmente nas luzes da ribalta. Claro está, houve outro grande motivo para o sucesso de "Wicked Game": o lendário videoclip rodado no Hawaii com Isaak em cenas tórridas com a modelo dinamarquesa Helena Christiansen (que foi logo promovida a top model). Na minha opinião, este continua a ser o videoclip mais sexy de sempre. Mesmo sem nunca mais repetir o sucesso de "Wicked Game" (a sua outra canção mais notória é "Baby Did A Bad Thing", da banda sonora do filme "Eyes Wide Shut" e de novo com outra top model no videoclip, Laetitia Casta), Chris Isaak continua bem activo tanto na sua carreira musical como na representação ("O Silêncio dos Inocentes", "O Pequeno Buda", "Tudo Por Um Sonho")
10. "Sadeness part 1" Enigma: Uma das principais memórias que eu tenho do Verão de 1991 é ir às antigas piscinas municipais de Torres Novas, onde inevitavelmente se ouvia tocar Enigma, ao ponto de eu achar que os funcionários das piscinas deixavam a tocar em loop o álbum "MCMX A.D." O projecto Enigma era liderado pelo alemão de origem romena Michael Cretu e a fórmula de juntar cantos gregorianos a uma batida dançável fez furor por todo o mundo, chegando ao n.º 1 dos tops de 24 países. Como se sabe, Cretu era então casada com a conhecida cantora pop Sandra e é ela que providenciava as sensuais frases em francês que se ouve em "Sadeness". Sim, o tema chama-se "Sadeness" e não "sadness", a palavra inglesa para tristeza, pois a letra questiona os desejos libidinosos do Marquês de Sade. 
11. "Move That Body" Technotronic: Primeiro single do segundo álbum do colectivo belga de dance-music Technotronic famoso por clássicos como "Pump Up The Jam" e "Get Up (Before The Night Is Over)". Este tema contava com a participação da cantora congolesa Reggie.
12. "All My Loving" Los Manolos: Numa altura que se fala da questão da Catalunha, eis um grupo catalão especializado na rumba catalã, os Los Manolos. Esta versão de um original dos Beatles é um dos seus maiores hits em Espanha, mas são sobretudo conhecidos pela sua versão de "Amigos Para Siempre".

CD2
1. "Losing My Religion" R.E.M.: Depois de terem atravessado os anos 80 como uma das bandas mais emblemáticas da cena alternativa americana, os R.E.M. atingiam em 1991 o sucesso global no mainstream com o álbum "Out Of Time" graças a dois singles fortíssimos: o saltitante "Shiny Happy People" e sobretudo "Losing My Religion", que me lembro de ouvir em todo o lado na altura: desde a rádio a colegas a cantarem lá na escola e até na rubrica "Fora de Casa" da RTP que indicava os filmes em cartazes nas salas de cinema de Lisboa e Porto. O título é uma expressão do Sul dos Estados Unidos que quer dizer "perder a paciência". Segundo a banda, o sucesso do tema surpreendeu-lhes porque a canção nem sequer tinha refrão! Igualmente célebre é o videoclip realizado por Tarsem Singh, cheio de recriações vivas de arte sacra, que ganhou o prémio MTV de Melhor Vídeo nesse ano.
2. "Something Got Me Started" Simply Red: Dono de uma das mais famosas melenas ruivas do mundo da música, Mick Hucknall e a sua banda Simply Red editavam em 1991 aquele que seria o seu álbum de maior sucesso"Stars" (ainda hoje está entre os 15 álbuns mais vendidos de sempre do Reino Unido). Este foi o primeiro single desse álbum, sem duvida uma das faixas mais dançáveis, e onde além de Hucknall, se pode ouvir proeminentemente a voz do teclista Fritz McIntyre. ("Yes I would!")
3. "Unbelievable" EMF: Acabaram por uma one-hit-wonder (ou pelo menos uma banda recordada por uma só canção) mas na altura os britânicos EMF (Epsom Mad Funkers) estavam em alta na altura com a sua vibrante mistura de rock alternativo com batidas electrónicas, que recusaram no mega-hit "Unbelievable", que chegou ao n.º 1 nos Estados Unidos. Os "Oh!" que se ouvem foram retirados de um número do comediante Andrew Dice Clay. À parte uma cover de "I'm A Believer" de 1995, os EMF nunca mais conseguiram repetir o sucesso inicial e terminaram em 1997. Reformaram-se em 2001 para um álbum de best of e uma nova digressão que passou pela Queima das Fitas de Coimbra (eu estava lá quando eles actuaram) mas que foi bruscamente interrompida devido à morte do baixista Zac Foley em Janeiro de 2002. A banda reuniu-se novamente entre 2007 e 2009 e tem actividade retomada desde 2012. Enquanto isso lá vão recebendo regularmente  alguns royalties pela utilização de "Unbelievable" em tudo desde filmes (como "Coyote Bar") a versões de outros artistas (como Tom Jones!) e até anúncios de hamburgers!
4. "Getting Away With It" Electronic: Electronic era o projecto em part-time de Bernard Sumner dos New Order e Johnny Marr, dos Smiths. E como se tal não bastasse, o seu primeiro álbum também teve a colaborações dos Pet Shop Boys e o resultado foi uma interessante combinação das sonoridades provenientes das três bandas. O álbum vendeu um milhão de cópias em todo o mundo e produziu alguns singles de sucesso como este "Getting Away With It". Sumner e Marr continuaram o projecto Eletronic por mais oito anos e dois álbuns. 
5. "Mundo de Aventuras" Ban: Uma das mais famosas bandas portuenses dos anos 80, os Ban eram liderados por João Loureiro. Sim, o presidente do Boavista e filho do Major Valentim Loureiro. (Aliás, o seu boneco do Contra-Informação chamava-se "O Ex-Vocalista dos Ban"). Mas a outra vocalista Ana Deus, que mais tarde integraria os Três Tristes Tigres, não o deixava brilhar sozinho.
Formados em 1983, o grupo editou três álbuns entre 1986 e 1991 e somou êxitos como "Irreal Social", "Dias Atlânticos" e este "Mundo de Aventuras", a faixa-título do terceiro álbum. No ano seguinte, João Loureiro e outros membros formariam uma nova banda, os Zero. Após uma breve reunião para promover o álbum best of "Num Filme Sempre Pop", os Ban dissolveram-se tendo regressado inesperadamente em 2010 com o álbum "Dansity". (Atenção à visão de João Loureiro em boxers no início do videoclip!)
6. "Hello Afrika" Dr. Alban: Quando em 1980, Alban Nwapa viajou da Nigéria para estudar medicina dentária na Suécia (daí que seja de facto um doutor), decerto que não imaginaria que anos mais tarde se tornaria uma estrela do eurodance. Mas foi isso que aconteceu com Dr. Alban que nesse ano lançava o seu primeiro álbum "Hello Afrika". Claro está, no ano seguinte obteve ainda mais sucesso com o álbum "One Love" graças a hits como "Sing Hallelujah" e aquela que viria a ser a sua canção-assinatura, "It's My Life". Dr. Alban continua a actuar e a editar material. Em 2014, participou na pré-selecção sueca para o Festival da Eurovisão. 
7. "Baila Me" Gipsy Kings: Sabiam que os Gipsy Kings são franceses (embora a grande maioria hispano-descendentes)? Depois de fazerem sucesso um pouco por todo o mundo com hits como "Bamboleo", "Djobi Djoba", "Bem Bem Maria" e sobretudo "Volare", eles estavam de volta com um novo álbum do qual se destacou este "Baila Me".
8. "Rush Rush" Paula Abdul: As gerações mais jovens conhecem-na como a jurada original do "American Idol", mas Paula Abdul foi uma estrela pop de grande sucesso entre finais dos anos 80 e princípios dos anos 90, onde somou hits como "Straight Up" ou "Opposites Attract" (famoso pelo videoclip do gato animado). Este "Rush Rush", o principal single do álbum "Spellbound", é o seu tema mais conhecido no território das baladas e continha um videoclip que recriava cenas do filme "Fúria de Viver" com Keanu Reeves a dar uma de James Dean. Recordo-me também de na altura os Ministars terem feito uma versão chamada "Bicho Bicho". 
9. "3 a.m. Eternal" KLF: Os KLF são considerados os grandes impulsionadores da cena electro-dance britânica que singraria nos anos seguintes graças a grupos como Prodigy e Chemical Brothers. Os dois mentores do projecto, Bill Drummond e Jimmy Cauty já tinham criado outros projectos, nomeadamente os Timelords que em 1988 chegaram ao n.º 1 do top britânico com uma faixa baseada no tema da série "Doctor Who". Entre 1990 e 1992, os KLF editaram seis singles de sucesso, dos quais se destacam este "3 a.m. Eternal" (n.º 1 no Reino Unido) e "Justified & Ancient", uma surpreendente mas bem agradável colaboração com a lenda da música country, Tammy Wynette. Os KLF terminaram abruptamente em 1992, durante os Brit Awards, com uma bizarra actuação de "3 a.m. Eternal" onde dispararam pólvora seca de uma metralhadora e mais tarde deixaram uma ovelha morta no local do afterparty. Porém, Drummond e Cauty prosseguiram desde então com outros projectos, não só musicais, mas também de artes plásticas e audiovisuais.     
10. "Promise Me" Beverly Craven: O mais famoso tema da cantora e compositora britânica Beverley Craven que se tornou rapidamente um clássico da baladaria dos anos 90. Em Portugal, o tema obteve sucesso renovado em 1995 quando Patrícia Antunes, uma concorrente da segunda edição do Chuva de Estrelas, interpretou esta canção, tendo chegado à final e nos anos seguintes, tornou-se um clássico do karaoke nacional e de programas de cantorias, como "Cantigas da Rua". 
11. "Se Eu Pudesse Um Dia..." Delfins: Confesso que não conhecia este tema dos Delfins, extraído do álbum de 1990 "Desalinhados" - até porque não está incluído no seu álbum best of, "O Caminho da Felicidade", um dos discos nacionais mais vendidos de sempre. O álbum "Desalinhados" continha a versão original de "Nasce Selvagem" que teria ainda mais sucesso em 1992 na versão dos Resistência. Em 1991, os Delfins já tinham a sua dose de grande sucesso na sua carreira mas decerto que não imaginavam que nos anos seguintes chegariam a um elevadíssimo patamar de fama, não só com o já referido álbum best of, mas também com os discos "Ser Maior - Uma História Natural" e "Saber A Mar". A banda de Miguel Ângelo continuaria até 2009, quando celebrou 25 anos de existência.   
12. "Have You Seen Her" MC Hammer: Os rappers também precisam de amor. Originalmente gravado em 1971 pelos Chi-Lites, "Have You Seen Her" foi versionada por MC Hammer, imortalizado pelo lendário "U Can't Touch This", mostrando o seu lado mais romântico. (E tal como João Loureiro, MC Hammer aparece em cuecas no início do videoclip!)

Anúncio televisivo:






Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

2 comentários:

  1. Prefiro de longe o primeiro álbum de Paula Abdul. Muitos devem lembrar-se dela no programa do Nino Firetto do Music Box quando foi apresentar um dos seus primeiros singles. Dos Technotronic tamb+ém prefiro o álbum anterior. Na altura dos Enigma houve ainda grandes sucessos do mesmo tipo como "What Is Sadeness" dos Device e "So Sad" de Gregorian (que tinha pertencido aos Enigma).Lembro-me de ouvir na rádio esses primeiros temas do Dr. Alban e dizerem que ele era dentista na Suécia. Acho engraçados os dois singles desta fase mas já não gosto tanto do álbum seguinte. Nunca fui grande fã de "Euro pop" dos anos 90 tipo Culture Beat, Twenty 4 Seven, Capella, etc Gosto muito dos KLF sobretudo deste single. Nunca fui grande fã dos Gipsy Kings embora goste muito do "Djobi Djoba". O tema dos Los Manolos acho que está relacionado com os jogos olimpicos de Barcelona. Também gosto de alguns temas desse disco do Juan Luis Guerra. A presença do Joe Cocker faz-me lembrar o programa Top 25 RFM que dava na TVI mas deve ser mais tarde. Os Ban eram bastante bons. Não sou grande fã desse disco dos Delfins. Curiosamente também nunca gostei muito do "Sou Como Um Rio" que abriu as portas do sucesso. Lembro-me que a Beverley Craven tinha pelo menos dois temas mas tenho ideia que demorou a ter sucesso. Gosto muito dessa versão do MC Hammer.

    ResponderEliminar
  2. Beverley Craven - Six singles were released to promote the album. The first four singles, released in 1990, failed to chart. With the successful re-release of "Promise Me", previous singles were reissued as its follow-ups https://en.wikipedia.org/wiki/Beverley_Craven_(album)

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...