sexta-feira, 17 de junho de 2016

Karate Kid - O Momento da Verdade (1984)

por Paulo Neto

Certamente que todo aquele que em menino e moço foi vítima de bullying e transformado em saco de pancada pelos rufiões da escola e/ou do bairro teve a fantasia de aprender artes marciais e depois dar a provar aos bullies um pouco do seu próprio veneno. Não sei se é verdade, mas não me admiraria se o argumentista Robert Mark Kamen tivesse sido uma vítima de bullying e tivesse escrito o filme que materializava, como nunca antes tinha sido feito, essa fantasia vingativa. Falo claro, de "Karate Kid" (em português "O Momento da Verdade"), filme de 1984 realizado por John G. Avildsen (famoso por outro célebre filme sobre a história de um underdog, "Rocky"). 



Daniel Larusso (Ralph Macchio) é um jovem que se muda com a sua mãe Lucille (Randee Heller) de Nova Jérsia para Los Angeles, para um prédio onde o empregado de manutenção é um excêntrico mas simpático senhor japonês, Kesuke Miyagi (Pat Morita).




Como se a mudança da Costa Leste para a Costa Oeste já não fosse difícil por si só, Daniel vê a sua vida a complicar-se quando se interessa por Ali Mills (Elisabeth Shue), causando a fúria do ex-namorado desta, Johnny Lawrence (William Zabka). Johnny é um talentoso mas extremamente bruto lutador de karaté que começa a aterrorizar Daniel com os seus colegas do dojo Cobra Kai, dirigido por John Kreese (Martin Kove), um veterano da guerra do Vietname, notório pelos seus ensinamentos extremamente violentos e pouco éticos do karaté e do uso da força bruta.



Revoltado com os ataques a Daniel dos quais Kreese é conivente, Miyagi decide transmitir ao rapaz os seus conhecimentos de karaté que aprendeu em jovem na ilha japonesa de Okinawa. Alguns dos seus métodos são estranhos, tais como fazer tarefas rotineiras para o idoso, mas aos poucos Daniel vai adquirindo os conhecimentos, percebendo que mais do que dar tareias nos outros, as artes marciais servem para promover um equilíbrio entre o corpo e o espírito. Ao mesmo tempo, a relação entre discípulo e mentor também torna-se um pouco semelhante à de pai e filho.



No torneio de karaté, Daniel surpreende todos, em especial os Cobra Kai, com a sua espantosa evolução. Irritado, Kreese ordena a Bobby Brown (Ron Thomas) que cause uma grave lesão na perna de Daniel, ao que o discípulo relutantemente obedece. Graças a uma massagem miraculosa de Miyagi, Daniel recupera a tempo do combate da final contra Johnny, o derradeiro momento da verdade.



"Karate Kid" foi mais um dos diversos filmes de 1984 que se tornaram icónicos. Não só gerou mais três sequelas, duas das quais também protagonizadas por Ralph Macchio, como toda uma linha de merchandising que incluía figuras de acção, bandanas, T-shirts, jogos de vídeo e uma novelização em livro. Pat Morita foi nomeado para o Óscar de Melhor Actor Secundário. 

Revelado no filme de 1983 "Os Marginais" juntamente com outras estrelas ascendentes como Tom Cruise, Rob Lowe, Emilio Estevez, Matt Dillon e Patrick Swayze, a saga "Karate Kid" foi de longe o ponto alto da carreira de Ralph Macchio e nunca mais nada que fez se aproximou de tamanha dimensão, embora a sua carreira tenha continuada activa no cinema e na televisão ("O Meu Primo Vinny", "Betty Feia"). E é engraçado como, ao contrário de vários teen movies americanos onde se vê habitualmente actores claramente com vinte e tal anos a fazerem de adolescentes, e Macchio, com 22 anos à estreia do filme, passava bem por um puto de dezasseis.  
William Zabka continuou a fazer papéis de vilão em filmes adolescentes dos anos 80 como "A Maria Rapaz" e "De Volta Às Aulas", mas a par da carreira como actor, também tem se dedicado bastante a funções atrás das câmaras, como realizador, produtor e argumentista. A curta metragem checa "Most", escrita e produzida por Zabka, foi nomeada para um Óscar em 2004. Recentemente, William Zabka autoparodiou-se na série "Foi Assim Que Aconteceu", em que Barney Stinson defendia que o verdadeiro herói de "Karaté Kid" era Johnny Lawrence. (Alias este é um dos mais frequentes exemplos da moda cinéfila na internet de teorias de virar o bico ao prego e dizer que os heróis dos filmes são na verdade os maus da fita e vice-versa).  





Na banda sonora, destaca-se o tema final, "You're The Best" de Joe Esposito que esteve para ser o tema principal de "Rocky III", mas Sylvester Stallone preferiu o célebre "Eye Of The Tiger" dos Survivor. Que curiosamente, eram os intérpretes do tema de abertura, "Moment Of Truth" (que certamente terá sido a inspiração para o título português).



E já agora, o protagonista de "Karaté Kid" foi a inspiração para o tema "Daniel" de 2008 da cantora britânica Bat For Lashes, cujo vídeo até continha um look-alike de Ralph Macchio.

Para terminar, como não me canso de dizer e escrever "Cobra Kai", sou da opinião de que bem que os Cobra Kai podiam adaptar o jingle do Cola Cao: "Cobra Kai, arreia com força, Cobra Kai!"
 

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...