sábado, 20 de junho de 2015

Tubarão (1975)


Além de deixar os espectadores com um medo insuportável de ir à praia, piorar a fama dos tubarões e de apresentar ao Mundo o talento do então jovem realizador Steven Spielberg, o "Tubarão" ("Jaws" no original) inaugurou a época dos blockbusters. Claro que sempre existiram grandes êxitos e épicos de bilheteira, mas Tubarão e o primeiro Star Wars em 1977 levaram as bilheteiras a outro nível. A Wiki define blockbuster como um fenómeno cultural, entretenimento rápido mas que permanece com os espectadores. Exemplo disso é que passadas 4 décadas da estreia de "Tubarão", várias cenas, citações e a banda sonora são parte da cultura pop.
A minha homenagem ao icónico poster.


O filme estreou nos EUA a 20 de Junho de 1975, mas curiosamente, só chegou a Portugal quase 2 anos depois, no inicio de Abril de 1977. No entanto, a página do IMBD indica a estreia no nosso país a 25 de Março de 1977, mas os seguintes recortes de imprensa desmentem essa data. No nosso país vizinho, a estreia foi em finais de 1975. Hoje em dia, tanta dilatação de tempo entre a premiere a estreia em Portugal está reservada quase exclusivamente para fracassos de bilheteira. Foi uma situação estranha, um tão grande êxito internacional demorar tanto para chegar às nossas costas. Terão as bobines vindo a nado?

"Diário de Lisboa - 1 de Abril de 1977" - Crítica de Jorge Leitão Ramos

"Diário de Lisboa - 9 de Abril de 1977"

"Diário de Lisboa - 1 de Abril de 1977"



Como anunciado na imagem acima, "Não aconselhado a menores de 13 anos", "O Tubarão" é um dos filmes de terror mais famosos e tem um plot simples (mas com bastante nas entrelinhas): o serial killer é um gigantesco tubarão branco (Carcharodon carcharias). Mas ao contrário do senso comum e da opinião do sheriff  Brody (Roy Scheider , de "Blue Thunder", "2010", "SeaQuest DSV") o mayor da resort de Verão Amity Island decide manter as praias abertas ao público, para facturar com o feriado de 4 de Julho. Mas como os ataques não param, a "época de caça" é aberta e Brody recruta o oceanógrafo Matt Hooper (Richard Dreyfuss, de "Encontros Imediatos do Terceiro Grau") e Quint (Roberto Shaw, de "007 - Ordem Para Matar", "A Golpada", "O Abismo"), um pescador profissional de tubarões para pararem o predador de vez.
O material que deu origem à película foi o romance homónimo, o bestseller "Jaws" (1974), da autoria de Peter Benchley (também responsável pelo guião). Li há alguns anos, além das óbvias diferenças entre escrever um livro e adaptá-lo ao ecrã, o tom é bastante distinto, mais deprimente, nem recordo se cheguei a acabá-lo. 

O trailer da época:

Um trailer remontado por um fã, ao estilo actual, para assinalar o 40º Aniversário em 2015:


A icónica banda sonora, criada por John Williams - o premiado compositor que inspirou as gerações seguintes de artistas da música para cinema e televisão - é minimalista, mas inquietante. Junto com as imagens conseguiu criar um grande feito de antecipação e suspense. Uma das curiosidades mais famosas do filme é que o constante mal funcionamento do principal tubarão mecânico - apelidado de Bruce, se não me engano - obrigou a filmar de modo a mostrar o mínimo possível do "animal"; o que deu origem a várias cenas do ponto-de-vista do tubarão muito eficazes. É impossível alguém (a não que estivesse enterrado na areia nos últimos 40 anos) ouvir os simples acordes do "tema do tubarão" - tã-tã - (tocados numa tuba; e usado e homenageado até à exaustão num sem fim de filmes e séries), não sinta a presença ameaçadora de um tubarão prestes a arrastar-nos para as profundezas. 
O filme, além da vitória nos Óscares de Melhor Banda Sonora, Montagem e Som, foi premiado e nomeado para várias categorias dos BAFTA, Globos de Ouro (não os da SIC), WGA, Grammys, etc.
Como sabido, só tive leitor de VHS no final dos anos 90, e não sendo nascido na altura da estreia, só conhecia o "Tubarão" da televisão. Recordo de ver uma vez numa pequena TV a preto e branco, daquelas a bateria para levar de férias, numa noite de verão no escurinho da salinha de estar na casa da ilha e apanhar um cagaço gigantesco durante uma cena subaquática [aqui]. Que susto apanhei nessa noite! Curiosamente, a minha mãe diz que é essa mesma cena a que melhor se recorda, de quando viu o "Les Dents de la mer" em 1976 num cinema de Marsella. Invejo que viu este num ecrã gigante!

Leitores: viram no cinema ou TV? E ficaram com medo de ir à praia?

Como sempre, o leitor pode partilhar experiências, corrigir informações, ou deixar sugestões aqui nos comentários, ou no Facebook da Enciclopédia: "Enciclopédia de Cromos"Visite também o Tumblr: "Enciclopédia de Cromos - Tumblr".

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...