domingo, 1 de fevereiro de 2015

Sex Appeal (2000-2002)

por Paulo Neto

Basicamente quando se fala da sexualidade em Portugal, existem duas formas preponderantes: ou com demasiada vergonha e cerimónia, ou à laia da ordinarice e da piada bacoca. Mas no ano 2000, um programa ousou falar dos diversos matizes da sexualidade optando por um meio-termo, de forma informal, esclarecida e sem fazer didactismos ou juízos de valor.
Já havia anteriormente programas anteriores, nomeadamente os de Júlio Machado Vaz nos anos 90 na RTP como "Sexualidades" e mais tarde aqueles conduzidos por Marta Crawford, mas em "Sex Appeal" a voz principal era mesmo a dos portugueses.

Da autoria e produção de Felícia Cabrita e Júlia Pinheiro, "Sex Appeal" teve duas temporadas de vinte episódios cada, exibidas na SIC às sextas-feiras à noite entre 2000 e 2002. Além da temática, o programa ajudou a celebrizar Elsa Raposo. Uma das mais requisitadas modelos nacionais nos anos 80, Elsa Raposo foi (re)descoberta pelo grande público aos 36 anos com este programa, apresentando-se ainda então como uma mulher deslumbrante.



Cada programa tinha um tema específico. O do primeiro programa foi, como não podia deixar de ser, a primeira vez. Como podem ver neste vídeo, o programa inquiriu famosos e anónimos quanto à sua primeira vez. 


Conforme o tema, variavam as perguntas. (O que é um orgasmo? Para que lado "arruma" o seu pénis? Já teve uma erecção na praia?
Também recordo que algumas pessoas na rua eram inquiridas sobre o significado de certos termos onde se ficou a saber, em pleno 2000, que muitos portugueses ainda não sabiam o que queria dizer heterossexual (a resposta de um senhor "não sei, não ligo a esses desvios") e que achavam que a posição de missionário era de joelhos.
Também houve aqueles que davam os seus depoimentos sobre o tema em discussão na tranquilidade de um estúdio. Alguns dos quais se despiam tanto de roupas como de preconceitos, como foi o caso de um concorrente do reality-show "O Bar da TV" cujo nome não me recordo. 

Outra rubrica que eu me recordo era de um segmento em que duas figuras públicas conversavam sobre sexo e outras experiências não menos ibidem enquanto viajavam num carro. Entre esses duetos imprevistos contavam-se dois elementos dos Excesso, Melão e Duck, emparelhados respectivamente com a actriz Rita Ribeiro e a poetisa Adília Lopes, Fátima Lopes (a estilista) com Olavo Bilac e Helena Sacadura Cabral com Virgílio Castelo.

O segmento mais polémico era o do videoclip erótico semanal, geralmente realizado por Diamantino Ferreira (que também dirigiu, por exemplo, o telefilme "O Lampião da Estrela"), que mais não eram que curtas-metragens eróticas (mas não explícitas). Uma delas acabou por causar grande polémica: isto porque era sobre o tema do 25 de Abril e que mostrou Otelo Saraiva de Carvalho (vestido) a rebolar no chão com a actriz Julie Sargeant (nua). Ver aqui.

Reportagem do Público sobre o programa e os testemunhos das autoras. Ler aqui.

Seja como for, "Sex Appeal" revelou que apesar de haver ainda muita relutância em Portugal de se falar abertamente de sexo, já se verificava o desaparecimento de alguns tabus e de que entre passos à frente e atrás, os portugueses em geral já abordavam o tema muito mais abertamente do que noutros tempos.

Quanto a Elsa Raposo, a sua imagem de mulher fatal que cultivou na condução do programa ajudou-a tornar-se conhecida do grande público mas nos anos que se seguiram, acabou por ser notícia sobretudo na imprensa cor-de-rosa pela sua atribulada vida amorosa. 




Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

Sem comentários:

Enviar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...