quarta-feira, 9 de maio de 2012

Reckless - Jovens Sem Rumo (1984)



O nosso leitor fiel  Paulo Neto enviou para a "Enciclopédia" mais uma contribuição de um filme dos anos 80. O escolhido é "Jovens Sem Rumo", o título nacional de "Reckless". Mas, vou dar a palavra ao Paulo Neto:

Eu descobri este filme há uns anos por acaso, numa sessão de zapping, no canal TCM, e sempre que apanho nesse canal costumo ficar a ver. Não sei qual foi o título em Portugal (ou mesmo se chegou até cá), no Brasil é "Jovens sem rumo".
Datado de 1984, "Reckless" foi realizado por James Foley ("Homens À Queima Roupa"), escrito por Chris Colombus (que viria a realizar "Sozinho em Casa" e os dois primeiros filmes do Harry Potter) e protagonizado por Aidan Quinn (o seu primeiro filme) e Daryl Hannah.

A história é simples: numa cidade industrial do Ohio, a privilegiada e popular Tracy Prescott (Daryl Hannah) dá por si farta de ser a menina perfeita e da fanfarronice do seu namorado Randy (Adam Baldwin). John Rourke é o marginal da escola, em constante conflito com o pai (que o acusa pela fuga da sua mãe) e adora viver a vida ao limite, sobretudo acelerando na sua mota. Por causa da sua rebeldia, toda a gente o culpa dos sarilhos em que se mete, mesmo quando frequentemente a culpa não é dele.
Quando um sorteio para o baile da escola junta Tracy e John como par, a atracção é mútua e imediata. Numa noite, Tracy dá por si a experimentar os prazeres da transgressão (e do sexo) com John. Porém, Tracy depressa se deixa amedontrar pelo rumo da relação e afasta-se. Mas quando John, depois de perder tudo o resto, declara-se a ela no meio da escola, ela decide correr o risco.




Não se pode dizer que seja um filme muito brilhante, aliás foi um fracasso de bilheteira. Felizmente, o sucesso de "Desesperadamente Procurando Susan" assegurou a carreira de Quinn e Hannah voltaria a ser um ícone em "Splash - A Sereia". O argumento tem vários plotholes, a relação do par amoroso tem vários momentos estranhos e até agressivos (John tem um atitude de quase stalker) valendo-se sobretudo pela química entre os actores, e o final idílico (os dois na mota estrada fora ao som de "Roll me away" de Bob Seger) acentua ainda mais a estranha relação do par para além de deixar o espectador, mesmo em empatia com eles, com muitas questões em aberto, nomeadamente como é que eles vão fazer a seguir. 

Ainda assim, "Reckless" é um filme que se vê bastante bem e entretém, mesmo ao fim destes anos. Funciona bem como uma autêntica cápsula do tempo dos anos 80, uma das principais razões pelas quais se criou um estatuto de culto à sua volta, com os fãs a reclamarem durante anos uma edição em DVD (que finalmente surgiu em 2009). Não só pelo elenco mas também pela banda sonora (INXS, Kim Wilde, Romeo Void) e pela atmosfera visual, que está muito bem sintetizada no primeiro plano do filme das nuvens de fumo a pairarem sobre a fábrica de metalurgia. Mas apesar das falhas do argumento, o filme capta bem o tema da teen angst, e é fácil simpatizar com o protagonista (apesar das suas tendências semi-predadoras) e com o seu mal-estar num meio irrespirável sem perspectivas de futuro (a cidade vive quase toda da fábrica) e onde é rejeitado por todos. Por esse motivo, o filme tem sido comparado a "Fúria de Viver/ Rebel Without A Cause" e aliás o registo de Aidan Quinn tem o seu quê de James Dean-esco. O filme contém várias cenas de antologia como a da dança do casalinho, a primeira sequência junto ao precipício, o jogo de sedução quando eles invadem a escola ao som de "Kids In America" e as cenas de sexo bem arrojadas. (Sim, Daryl Hannah mostra as maminhas!)


Resta referir que além de Aidan Quinn e Daryl Hannah, o elenco inclui Jennifer "Dirty Dancing" Grey (o seu primeiro filme), Adam Baldwin (que vemos actualmente em "Chuck"), Lois Smith (a avó de Sangue Fresco), Havilland Morris (sobretudo conhecida por "Revenge of the Nerds") e Pamela Springsteen (irmã de Bruce) e dois actores que pareciam omnipresentes nos filmes dos anos 80, Cliff DeYoung e Dan Hedaya.

Mais uma vez, obrigado ao Paulo Neto pela contribuição! 
Vejam os outros textos do Paulo: "Encicloédia de Cromos - Paulo Neto"

E, meus caros leitores, se sentirem inspirados podem sempre enviar-me textos ou sugestões de cromos para o meu e-mail cine31@gmail.com ou no Facebook da Enciclopédia de Cromos, e claro nos comentários do blog!

Se gostou, Partilhe: »»

Save on Delicious

Sem comentários:

Publicar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...